Ciência-IUL    Publicações    Descrição Detalhada da Publicação    Exportar

Exportar Publicação

A publicação pode ser exportada nos seguintes formatos: referência da APA (American Psychological Association), referência do IEEE (Institute of Electrical and Electronics Engineers), BibTeX e RIS.

Exportar Referência (APA)
Pedro Moura Ferreira & Maia, M. (2014). Realizar ou não o teste do VIH: razões e determinantes sociais. In Marta Maia, Pedro Moura Ferreira (Ed.), VIH/sida e Ciências Sociais: diversidade e percursos de investigação. (pp. 189-204). Porto: Afrontamento.
Exportar Referência (IEEE)
P. M. Ferreira and M. A. Maia,  "Realizar ou não o teste do VIH: razões e determinantes sociais", in VIH/sida e Ciências Sociais: diversidade e percursos de investigação, Marta Maia, Pedro Moura Ferreira, Ed., Porto, Afrontamento, 2014, pp. 189-204
Exportar BibTeX
@incollection{ferreira2014_1652982055467,
	author = "Pedro Moura Ferreira and Maia, M.",
	title = "Realizar ou não o teste do VIH: razões e determinantes sociais",
	chapter = "",
	booktitle = "VIH/sida e Ciências Sociais: diversidade e percursos de investigação",
	year = "2014",
	volume = "",
	series = "",
	edition = "",
	pages = "189-189",
	publisher = "Afrontamento",
	address = "Porto"
}
Exportar RIS
TY  - CHAP
TI  - Realizar ou não o teste do VIH: razões e determinantes sociais
T2  - VIH/sida e Ciências Sociais: diversidade e percursos de investigação
AU  - Pedro Moura Ferreira
AU  - Maia, M.
PY  - 2014
SP  - 189-204
CY  - Porto
AB  - O conhecimento do estatuto serológico parece constituir um passo essencial não só para evitar a transmissão por desconhecimento da infeção, mas também porque a realização do teste reflete igualmente uma atitude preventiva mais assumida que é essencial para a assunção de práticas sexuais protegidas. É por isso fundamental saber responder a duas questões relativas ao teste do VIH — quem o faz e porque o faz —, mas também às mesmas questões em sentido inverso, ou seja, quem o recusa e por que razão. O facto dos dados explorados resultarem de uma amostra representativa da população portuguesa possibilita uma caracterização mais fundamentada do perfil social dos indivíduos que realizaram o teste e das suas motivações, ao mesmo tempo que permite descortinar determinantes sociais que predispõem a realizá-lo.
ER  -