Abertura da Exposição Artificial Realities
Abertura da Exposição Artificial Realities
A virtualidade como meio estético no processo de conceção arquitetónica

Abriu ontem a exposição ‘Realidades artificiais: a virtualidade como meio estético no processo de conceção arquitetónica', patente na sala de exposições do edifício II no ISCTE de 14 a 18 de outubro entre as 14h e as 18h e é aberta ao público. A abertura decorreu no final do simpósio com o mesmo nome que recebeu investigadores de diversos países do Canadá, Estados Unidos, Singapura e diversos países europeus. 

O projeto ‘Realidades artificiais: a virtualidade como meio estético no processo de conceção arquitetónica', com curadoria de Sara Eloy e Nancy Diniz, surgiu como resposta ao desafio lançado pela Trienal de Arquitetura de Lisboa 2019 e ao seu tema Poética da Razão.

O ISTAR, Centro de Investigação em Ciências da Informação, Tecnologias e Arquitetura do ISCTE-IUL, e que organiza e recebe o evento em outubro de 2019, tem um longo historial de investigação pioneira em realidades mistas e interfaces tangíveis aplicadas ao desenho urbano e de arquitetura.

A Realidade Virtual (RV) está presente entre nós há mais de 70 anos. Apesar de, ao longo deste tempo, o avanço desta tecnologia ter sido mais lento do que esperado, nos últimos 10 anos testemunhámos um maior e mais rápido avanço no seu desenvolvimento. Esta tecnologia tem agora inundado o mercado e os preços têm descido estrondosamente. Apesar de não ser novidade, a RV como meio estético em arquitetura ainda é algo relativamente novo. De facto, embora o lado tecnológico da RV tenha evoluído rapidamente, o lado estético deste meio permaneceu num estágio embrionário.

O projeto, que agrega uma exposição e um simpósio, explora os modos como a RV pode permitir aos arquitetos criar experiências imersivas expressivas. Através deste projeto são desencadeadas perguntas como "que prazer estético a RV pode oferecer?" e "de que modo os projetos contemporâneos onde se usa RV exploram o potencial estético deste meio?" São apresentados projetos de investigadores e profissionais internacionais com um corpo sólido de trabalho em diversas questões relacionadas com os processos de conceção de arquitetura usando tecnologias de realidade virtual e de realidade aumentada. Pretende-se explorar o potencial da dimensão estética do meio e estabelecer uma linguagem própria como meio expressivo no projeto arquitetónico. Iremos contar com participação de 12 países da Europa, América do Norte, Ásia e Austrália (Noruega, Dinamarca, Países Baixos, Bélgica, Alemanha, Grécia, Portugal, Turquia, Singapura, Austrália, Estados Unidos da América e Canadá) que vão trazer a Lisboa as suas experiências nestas matérias.

‘Realidades Artificiais’ constitui-se ainda como oportunidade para fortalecer a relação bilateral entre o ISTAR e o Laboratório de Realidade Virtual (VR-Lab) da Universidade Norueguesa das Ciências da Vida (NMBU) e nesse âmbito teve o apoio do programa EEA Grants.

 

Site: http://istar.iscte-iul.pt/artificialrealities/