Ciência-IUL    Publicações    Descrição Detalhada da Publicação    Exportar

Exportar Publicação

A publicação pode ser exportada nos seguintes formatos: referência da APA (American Psychological Association), referência do IEEE (Institute of Electrical and Electronics Engineers), BibTeX e RIS.

Exportar Referência (APA)
Viegas, J. M. L. (2014). Associativismo, sociedade divil e democracia. Análise Associativa. 1, 36-51
Exportar Referência (IEEE)
J. M. Viegas,  "Associativismo, sociedade divil e democracia", in Análise Associativa, no. 1, pp. 36-51, 2014
Exportar BibTeX
@article{viegas2014_1611667103076,
	author = "Viegas, J. M. L.",
	title = "Associativismo, sociedade divil e democracia",
	journal = "Análise Associativa",
	year = "2014",
	volume = "",
	number = "1",
	pages = "36-51",
	url = "https://www.cpccrd.pt/"
}
Exportar RIS
TY  - JOUR
TI  - Associativismo, sociedade divil e democracia
T2  - Análise Associativa
IS  - 1
AU  - Viegas, J. M. L.
PY  - 2014
SP  - 36-51
SN  - 2183-413X
UR  - https://www.cpccrd.pt/
AB  - Este texto tem,como primeiro objetivo,apresentar algumas reflexões sobre as implicações que o envolvimento associativo poderá ter na cidadania e na vivência democrática.Pretendemos dar resposta a perguntas como: a participação associativa tem consequências na adesão dos indivíduos aos valores e normas de cidadania? As associações melhoram a integração social? Que outras funções podem desempenhar as associações voluntárias? Qual o contributo das associações para uma sociedade civil forte? Como se explica a importância conferida às associações, se tão poucas pessoas participam? Que diferenças existem entre as diversas modalidades associativas? Que tipologia de associações adotar?
Um segundo objetivo, e no quadro das considerações teóricas anteriormente feitas, consiste na apresentação de alguns dados sobre a participação associativa em Portugal e em outros países europeus. Pretendemos analisar o nível de participação associativa em Portugal nas diferentes modalidades e tipos de associações, dando atenção especial à perspetiva
evolutiva da participação,na última década.Para avaliarmos melhor esse nível de participação, apresentaremos dados referentes a outros países europeus que nos permitam fazer a comparação da participação associativa no nosso país com a que se regista em outros contextos europeus.Neste campo pretendemos responder às seguintes perguntas: o envolvimento associativo em Portugal é baixo? Em todas as modalidades associativas? Com que países europeus nos podemos comparar? Qual o contributo das associações para uma sociedade civil forte? Qual o peso das associações que mais contribuem para a sociedade civil?
Finalmente, nas conclusões, salientaremos as características do envolvimento associativo português,com alguns apontamentos prospetivos.
ER  -