Ciência-IUL    Comunicações    Descrição Detalhada da Comunicação    Exportar

Exportar Publicação

A publicação pode ser exportada nos seguintes formatos: referência da APA (American Psychological Association), referência do IEEE (Institute of Electrical and Electronics Engineers), BibTeX e RIS.

Exportar Referência (APA)
Oliveira, Nuno, Matias, A.R. & Ortiz, Alejandra (2016). A implementação da formação em Português para Falantes de Outras Línguas em Portugal: o caso dos imigrantes adultos com pouca ou nenhuma escolaridade. IX Congresso Português de Sociologia 2016, Territórios educativos e (re)produção de desigualdades, exclusões e inclusões.
Exportar Referência (IEEE)
N. F. Oliveira et al.,  "A implementação da formação em Português para Falantes de Outras Línguas em Portugal: o caso dos imigrantes adultos com pouca ou nenhuma escolaridade.", in IX Congr.o Português de Sociologia 2016, Territórios educativos e (re)produção de desigualdades, exclusões e inclusões, Faro, 2016
Exportar BibTeX
@misc{oliveira2016_1571009065581,
	author = "Oliveira, Nuno and Matias, A.R. and Ortiz, Alejandra",
	title = "A implementação da formação em Português para Falantes de Outras Línguas em Portugal: o caso dos imigrantes adultos com pouca ou nenhuma escolaridade.",
	year = "2016",
	howpublished = "Outro",
	url = "http://www.aps.pt/ix_congresso/resumos/resumos"
}
Exportar RIS
TY  - CPAPER
TI  - A implementação da formação em Português para Falantes de Outras Línguas em Portugal: o caso dos imigrantes adultos com pouca ou nenhuma escolaridade.
T2  - IX Congresso Português de Sociologia 2016, Territórios educativos e (re)produção de desigualdades, exclusões e inclusões
AU  - Oliveira, Nuno
AU  - Matias, A.R.
AU  - Ortiz, Alejandra
PY  - 2016
CY  - Faro
UR  - http://www.aps.pt/ix_congresso/resumos/resumos
AB  - A oferta do Português para Falantes de Outras Línguas destinada a imigrantes adultos tem registado uma expansão contínua em Portugal nos últimos quinze anos. Falamos de programas que têm como objectivo promover a integração escolar e profissional, o acesso à nacionalidade e o desenvolvimento cognitivo. A presente comunicação discute como estas políticas oficiais do ensino da língua portuguesa têm tido como principal público-alvo uma população que não é representativa das necessidades globais dos adultos imigrantes. Referimo-nos em particular aos adultos imigrantes de baixa escolaridade, cujas necessidades escolares têm sido negligenciadas. Considerando que 9% do total de formandos são, efectivamente, imigrantes adultos com pouca ou nenhuma escolaridade, as necessidades específicas deste grupo não têm sido suficientemente acauteladas pelas políticas existentes, nem a sua acomodação institucional tem sido a mais adequada. O artigo começa por contextualizar a literacia dos adultos imigrantes nos debates internacionais e nacionais. De seguida, analisa os principais programas oficiais de ensino do Português para Falantes de Outras Línguas para adultos imigrantes. Os dados referentes a estes programas são complementados pela pesquisa de terreno, compreendendo entrevistas realizadas junto de professores e funcionários estatais cujo foco permite elucidar as principais barreiras e estratégias com impacto neste grupo de formandos. Finalmente, argumenta que os programas devem considerar soluções mais adequadas dadas as efectivas necessidades de cada público, sobretudo tendo em conta os resultados contraproducentes de turmas demasiado heterogéneas em termos de literacia e a arbitrariedade dos processos informais em curso.
ER  -