Ciência-IUL    Publicações    Descrição Detalhada da Publicação    Exportar

Exportar Publicação

A publicação pode ser exportada nos seguintes formatos: referência da APA (American Psychological Association), referência do IEEE (Institute of Electrical and Electronics Engineers), BibTeX e RIS.

Exportar Referência (APA)
Martin, D., Goldberg, A. & Silveira, C. (2018). Imigração, refúgio e saúde: perspectivas de análise sociocultural. Saúde e Sociedade. 27 (1), 26-36
Exportar Referência (IEEE)
D. Martin et al.,  "Imigração, refúgio e saúde: perspectivas de análise sociocultural", in Saúde e Sociedade, vol. 27, no. 1, pp. 26-36, 2018
Exportar BibTeX
@article{martin2018_1597416016081,
	author = "Martin, D. and Goldberg, A. and Silveira, C.",
	title = "Imigração, refúgio e saúde: perspectivas de análise sociocultural",
	journal = "Saúde e Sociedade",
	year = "2018",
	volume = "27",
	number = "1",
	doi = "10.1590/S0104-12902018170870",
	pages = "26-36",
	url = "http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-12902018000100026&lng=pt&tlng=pt"
}
Exportar RIS
TY  - JOUR
TI  - Imigração, refúgio e saúde: perspectivas de análise sociocultural
T2  - Saúde e Sociedade
VL  - 27
IS  - 1
AU  - Martin, D.
AU  - Goldberg, A.
AU  - Silveira, C.
PY  - 2018
SP  - 26-36
SN  - 1984-0470
DO  - 10.1590/S0104-12902018170870
UR  - http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-12902018000100026&lng=pt&tlng=pt
AB  - Os recentes processos migratórios internacionais ocorridos no Brasil se apresentam como um campo de estudo para as ciências sociais e humanas em saúde. Este artigo tem como objetivo refletir sobre os processos de inclusão de imigrantes e refugiados pelas instituições de saúde, considerando o campo de debates das ciências sociais e humanas em Saúde e o comprometimento dessa área com os direitos humanos. Inicialmente, são apresentadas características contemporâneas das migrações internacionais, incluindo a situação brasileira. Em seguida, são descritas algumas pesquisas e práticas sobre concepções de saúde, doenças e cuidados com imigrantes e, por fim, propomos um debate acerca de alguns conceitos antropológicos que podem contribuir para uma abordagem menos estereotipada dos processos de inclusão nas instituições de saúde nacionais. Pretendemos apresentar uma perspectiva das ciências sociais e humanas em saúde em um horizonte teórico articulado com práticas em saúde que, de certa forma, podem contribuir para a formulação de conceitos, explicações e orientações no plano das políticas públicas com essas populações.
ER  -