Ciência-IUL    Comunicações    Descrição Detalhada da Comunicação    Exportar

Exportar Publicação

A publicação pode ser exportada nos seguintes formatos: referência da APA (American Psychological Association), referência do IEEE (Institute of Electrical and Electronics Engineers), BibTeX e RIS.

Exportar Referência (APA)
Dores, A. (2018). Da natureza da razão .  Conferência Internacional Two decades discourse about globalizing social sciences – concepts, strategies, achievements.
Exportar Referência (IEEE)
A. P. Dores,  "Da natureza da razão ", in  Conferência Internacional Two decades discourse about globalizing social sciences – concepts, strategies, achievements, Milão, 2018
Exportar BibTeX
@misc{dores2018_1611813723196,
	author = "Dores, A.",
	title = "Da natureza da razão ",
	year = "2018",
	howpublished = "Outro"
}
Exportar RIS
TY  - CPAPER
TI  - Da natureza da razão 
T2  -  Conferência Internacional Two decades discourse about globalizing social sciences – concepts, strategies, achievements
AU  - Dores, A.
PY  - 2018
CY  - Milão
AB  - A razão é um produto de um certo tipo de sociabilidade da espécie humana. Tal tipo caracteriza-se pelo desenvolvimento de uma subjectividade autoral. A subjectividade é uma característica de certos tipos de sociabilidade, culturalmente elaborados. Na produção, a autonomia do pensamento do autor é intimamente ancorada nas tradições culturais que resultam da especialização das sociabilidades, em resultado da evolução da vida humana. Na difusão, não há razão sem reconhecimento social da sua existência.
A oposição individuo-sociedade revela a precariedade científica fundamental das teorias sociais. Do mesmo modo a confusão-diferença entre razão e Razão, como entre organização e instituição ou estado e império (tratadas noutros lugares), é paralela à confusão-diferença entre a hegemonia cognitiva das elites e a capacidade de raciocínio de cada ser humano. 
A crítica da biologia de António Damásio, ao estudar a consciência, é também um desafio e uma oportunidade para as ciências sociais. A homeostasia, afirma, é o princípio fundador da vida na Terra, incluindo das sociabilidades. Sociabilidades que podem ser encontradas nos primórdios da vida e não só entre as pessoas e na modernidade, ao contrário do que se ensina nas faculdades de ciências sociais. Há aqui um apelo ao espírito de auto-crítica dos cientistas sociais. 
ER  -