Ciência-IUL    Publicações    Descrição Detalhada da Publicação    Exportar

Exportar Publicação

A publicação pode ser exportada nos seguintes formatos: referência da APA (American Psychological Association), referência do IEEE (Institute of Electrical and Electronics Engineers), BibTeX e RIS.

Exportar Referência (APA)
Ramos, M. J. (2009). Memórias dos pescadores de Sesimbra: Santiago de Sesimbra no início dos anos 80 do século XX. Lisboa. Sociedade de Geografia de Lisboa.
Exportar Referência (IEEE)
M. J. Ramos,  Memórias dos pescadores de Sesimbra: Santiago de Sesimbra no início dos anos 80 do século XX, Lisboa, Sociedade de Geografia de Lisboa, 2009
Exportar BibTeX
@book{ramos2009_1571451374879,
	author = "Ramos, M. J.",
	title = "",
	year = "2009",
	editor = "",
	volume = "",
	number = "",
	series = "",
	edition = "",
	publisher = "Sociedade de Geografia de Lisboa",
	address = "Lisboa"
}
Exportar RIS
TY  - BOOK
TI  - Memórias dos pescadores de Sesimbra: Santiago de Sesimbra no início dos anos 80 do século XX
AU  - Ramos, M. J.
PY  - 2009
CY  - Lisboa
AB  - O volume 10 das “Memórias da Sociedade de Geografia de Lisboa, que agora se publica, é um estudo monográfico da comunidade de pescadores de Sesimbra retratados num tempo-espaço bem definido: o último quartel do século XX. É um trabalho de contextualização geográfico-sociológica das populações estudadas (e do seu carácter dir-se-ia anfíbio).
Este trabalho esboça e esclarece aspectos do sistema social desta vila piscatória em finais do século passado, descrevendo e decompondo, sob o ponto de vista antropológico, temas centrais para a caracterização e conhecimento de Sesimbra: a vila, as artes de pesca e suas variações (pesca artesanal, arte do anzol, arte do anzol simples e desportiva e artes locais), a vida no mar (as companhas, assimetrias sociais, os arraises e falas de mar) e a vida na terra (o casal, parentes, família, vizinhos e culto), entre outros. Estes aspectos, abordados com grande qualidade e pertinência, resultam da experiência de um ano vivido na vila de Sesimbra, período este em que o autor teve a possibilidade de privar de perto com pescadores locais de várias artes, saindo para o mar em diversas oportunidades, inclusivamente para as mais longínquas pescarias no banco do Gorrinche.
A informação e conhecimento disponibilizados neste trabalho constituem uma mais- valia para o conhecimento e salvaguarda do património sesimbrense, sobretudo no que diz respeito àquele conjunto de bens que se situam num plano intangível: o património imaterial, beneficiando da chancela de qualidade da Sociedade de Geografia de Lisboa.
ER  -