Ciência-IUL    Autores    António Pedro Dores    Currículo
António Pedro Dores
217650401 (Ext. 220059)
Gabinete D3.25
Cacifo 53
Resumo CV
Enquanto estudante estudei engenharia, informática e sociologia, tendo concluído a licenciatura nesta última disciplina em 1984 e iniciado a carreira académica de sociólogo. Profissionalmente trabalhei como programador informático entre 1981 e 1986. Trabalhei como docente de informática do ISCTE, entre 1985 e 1993, para leccionar a cadeira de Informática para Ciências Sociais. Trabalhei no Instituto Nacional de Estatística entre 1991 e 1997, nos recenseamentos e no gabinete de demografia. Sou professor no Departamento de Sociologia do ISCTE desde 1996. Entre os anos 1997 e 2002 acumulei funções docentes na Universidade Lusófona. No campo da investigação dediquei-me principalmente a dois temas: sociedade da informação e sociologia das prisões. Entre 1985 e 1996 desenvolvi estudos sobre os computadores nas profissões e nas escolas. A partir de 1997, na sequência da actividade cívica desenvolvida a propósito da situação das prisões portuguesas, abandonei os temas anteriores e passei a dedicar-me a estudar temas prisionais e o modo das teorias sociais os tratarem. Em termos conceptuais, tenho trabalhado principalmente temas como os movimentos sociais, na sua aplicação movimento informático, e, actualmente, naturezas sociais (cf. URL: http://iscte.pt/~apad/social%20natures/) e mais especificamente estados-de-espírito (cf. URL: http://iscte.pt/~apad/estesp). Trata-se de compreender a instabilidade pessoal e social própria da vida em contraponto à noção de conflito social como ruptura ocasional e esporádica da estruturação social (cf. URL:http://iscte.pt/~apad/novosite2007/socInstabilidade.html). Trate-se de evitar a contraposição radical entre violência intrínseca à natureza humana e normalidade ou modernidade exterior à violência. Inspiro-me em tradições reflexivas e epistemológicas próprias dos clássicos da sociologia, secundarizadas pela nossa ciência, como as que gravitam à volta de noções clássicas como o espírito do capitalismo, a consciência colectiva, a consciência de classe, o espírito moderno (kultur no sentido germânico referido em Elias do Processo Civilizacional), o espírito da instituição (cultura empresarial), o espírito nacional, o espírito de disciplina. Tratei em livro o espírito de proibir, o espírito de submissão, o espírito marginal e a sociologia da instabilidade, respectivamente um ensaio, uma monografia, um estudo de casos e uma apresentação didáctica do conceito de estados-de-espírito no quadro mais geral da sociologia. Organizei e participei em dois livros com base em organização de conferências internacionais (Prisões na Europa de 2003 e Ciências de Emergência de 2008). Na base de tudo está o trabalho que desenvolvo desde 1997 na Associação Contra a Exclusão pelo Desenvolvimento (ACED) sobre o que administrei a produção de três websites (http://aced.planetaclix.pt/index2.htm; http://iscte.pt/~apad/ACED; http://iscte.pt/~apad/ACED_juristas) e escrevi o que hoje em dia se chamaria um e-livro Vozes Contra o Silêncio, em parceria com António Manuel de Alte Pinho, cujo download pode ser feito do lado esquerdo da página http://iscte.pt/~apad/ACED.
Qualificações Académicas
Universidade/Instituição Tipo Curso Período
ISCTE
Agregação sociologia 2004
ISCTE-IUL - Instituto Superior Ciências Trabalho e da Empresa
Doutoramento Sociologia 1996
ISCTE-IUL - Instituto Superior Ciências Trabalho e da Empresa
Licenciatura Sociologia 1983
Áreas de Investigação
sociologia da instabilidade
sociologia das emoções
sociologia da violência
sociologia da punição
ciências de emergência