Exportar Publicação

A publicação pode ser exportada nos seguintes formatos: referência da APA (American Psychological Association), referência do IEEE (Institute of Electrical and Electronics Engineers), BibTeX e RIS.

Exportar Referência (APA)
Lopes, N., Clamote, T. C., Raposo, H., Pegado, E. & Rodrigues, C. F. (2012). O natural e o farmacológico: padrões de consumo terapêutico na população portuguesa. Saúde e Tecnologia. 8, 5-17
Exportar Referência (IEEE)
N. D. Lopes et al.,  "O natural e o farmacológico: padrões de consumo terapêutico na população portuguesa", in Saúde e Tecnologia, no. 8, pp. 5-17, 2012
Exportar BibTeX
@article{lopes2012_1716165676179,
	author = "Lopes, N. and Clamote, T. C. and Raposo, H. and Pegado, E. and Rodrigues, C. F.",
	title = "O natural e o farmacológico: padrões de consumo terapêutico na população portuguesa",
	journal = "Saúde e Tecnologia",
	year = "2012",
	volume = "",
	number = "8",
	pages = "5-17",
	url = "https://www.estesl.ipl.pt/investigacao/revista-saude-tecnologia"
}
Exportar RIS
TY  - JOUR
TI  - O natural e o farmacológico: padrões de consumo terapêutico na população portuguesa
T2  - Saúde e Tecnologia
IS  - 8
AU  - Lopes, N.
AU  - Clamote, T. C.
AU  - Raposo, H.
AU  - Pegado, E.
AU  - Rodrigues, C. F.
PY  - 2012
SP  - 5-17
SN  - 1646-9704
UR  - https://www.estesl.ipl.pt/investigacao/revista-saude-tecnologia
AB  - Neste artigo identifcam-se os padrões de consumo terapêutico na população portuguesa, visando dar conta de um novo padrão emergente nas sociedades modernas, aqui designado de Pluralismo Terapêutico, noção com a qual se categoriza o uso conjugado ou alternado de recursos farmacológicos e naturais nas trajetórias terapêuticas dos indivíduos. O respetivo suporte empírico decorre de uma investigação, já concluída, que teve por base uma amostra nacional representativa. Os resultados mostram uma dualização dos consumos terapêuticos que é constituída por um padrão dominante de Farmacologismo – i.e., uso exclusivo de fármacos – coexistente com uma tendência crescente de pluralismo terapêutico. O efeito das fontes de informação terapêutica e dos seus usos leigos, bem como das perceções sociais de risco sobre o natural e o farmacológico, constitui neste estudo uma referência analítica central para a interpretação dos padrões encontrados.
ER  -