Ciência-IUL    Publicações    Descrição Detalhada da Publicação    Exportar

Exportar Publicação

A publicação pode ser exportada nos seguintes formatos: referência da APA (American Psychological Association), referência do IEEE (Institute of Electrical and Electronics Engineers), BibTeX e RIS.

Exportar Referência (APA)
Bernardes, S. F., Jácome, F. & Lima, M. L. (2008). Questionário de Expectativas de Papel de Género Face à Dor: estudo psicométrico e de adaptação do GREP para a população portuguesa. Análise Psicológica. 26 (1), 121-133
Exportar Referência (IEEE)
S. G. Bernardes et al.,  "Questionário de Expectativas de Papel de Género Face à Dor: estudo psicométrico e de adaptação do GREP para a população portuguesa", in Análise Psicológica, vol. 26, no. 1, pp. 121-133, 2008
Exportar BibTeX
@article{bernardes2008_1660258533474,
	author = "Bernardes, S. F. and Jácome, F. and Lima, M. L.",
	title = "Questionário de Expectativas de Papel de Género Face à Dor: estudo psicométrico e de adaptação do GREP para a população portuguesa",
	journal = "Análise Psicológica",
	year = "2008",
	volume = "26",
	number = "1",
	doi = "10.14417/ap.481",
	pages = "121-133",
	url = "http://publicacoes.ispa.pt/index.php/ap/index"
}
Exportar RIS
TY  - JOUR
TI  - Questionário de Expectativas de Papel de Género Face à Dor: estudo psicométrico e de adaptação do GREP para a população portuguesa
T2  - Análise Psicológica
VL  - 26
IS  - 1
AU  - Bernardes, S. F.
AU  - Jácome, F.
AU  - Lima, M. L.
PY  - 2008
SP  - 121-133
SN  - 0870-8231
DO  - 10.14417/ap.481
UR  - http://publicacoes.ispa.pt/index.php/ap/index
AB  - O presente artigo visa a tradução e adaptação do questionário Gender Role Expectations of Pain (GREP; Robinson et al., 2001) numa amostra da população portuguesa. O GREP avalia as expectativas de papel de género face a três dimensões da experiência de dor: 1) sensibilidade; 2) tolerância; e 3) disposição para expressar dor. Para cada uma destas dimensões os indivíduos avaliam: 1) as percepções estereotípicas (homem típico vs. Mulher típica e vice-versa) e; 2) as percepções individuais (próprio vs. homem/mulher típicos).
O instrumento foi traduzido e aplicado a uma amostra de conveniência, constituída por 202 estudantes universitários/as portugueses/as (42.6% homens; Midade = 21.8; DP = 3.06) a frequentar diversos cursos de um Instituto Superior de Lisboa. Uma sub-amostra de 26 estudantes (48.2% homens; M idade = 22.5; DP = 2.32) preencheu pela segunda vez o instrumento duas semanas após a primeira aplicação.
Uma análise factorial em eixos principais extraiu os seis factores teoricamente esperados. O instrumento apresentou índices de consistência interna e temporal razoáveis na presente amostra.
Os conteúdos das percepções estereotípicas denotam um favorecimento do grupo de pertença, ou seja, os homens tendem a favorecer o homem típico enquanto as mulheres favorecem a mulher típica. Os conteúdos das percepções individuais denotam um maior esforço por parte dos homens para se diferenciarem pela positiva, quer do homem quer da mulher típicos, que as mulheres.
ER  -