Ciência-IUL    Comunicações    Descrição Detalhada da Comunicação    Exportar

Exportar Publicação

A publicação pode ser exportada nos seguintes formatos: referência da APA (American Psychological Association), referência do IEEE (Institute of Electrical and Electronics Engineers), BibTeX e RIS.

Exportar Referência (APA)
Coelho, J. V. (2018). Um sociólogo numa empresa de consultoria: As práticas de gestão como objecto de uma experiência vivida. X Congresso Português de Sociologia.
Exportar Referência (IEEE)
J. V. Coelho,  "Um sociólogo numa empresa de consultoria: As práticas de gestão como objecto de uma experiência vivida.", in X Congr.o Português de Sociologia, Covilhã, 2018
Exportar BibTeX
@misc{coelho2018_1618732385244,
	author = "Coelho, J. V.",
	title = "Um sociólogo numa empresa de consultoria: As práticas de gestão como objecto de uma experiência vivida.",
	year = "2018",
	howpublished = "Digital",
	url = "https://aps.pt/pt/x-congresso-portugues-de-sociologia/"
}
Exportar RIS
TY  - CPAPER
TI  - Um sociólogo numa empresa de consultoria: As práticas de gestão como objecto de uma experiência vivida.
T2  - X Congresso Português de Sociologia
AU  - Coelho, J. V.
PY  - 2018
CY  - Covilhã
UR  - https://aps.pt/pt/x-congresso-portugues-de-sociologia/
AB  - A presente comunicação pretende ilustrar uma experiência profissional específica, consumada no contexto
de uma reestruturação de uma empresa de serviços de consultoria de gestão portuguesa, que apresenta
uma trajetória de crescimento significativo nos últimos dois anos, expresso ao nível do volume de negócios,
da dimensão e da diversificação da equipa de trabalho, das instalações físicas, e do aprofundamento da
aposta realizada na internacionalização. A empresa tem duas décadas de existência, e a sua história é
pontuada por dois episódios de aquisição e fusão estrutural.

O objetivo da intervenção foi inicialmente apresentado em sentido amplo, sendo formalmente indicada a
necessidade de “acompanhar de outra forma as pessoas da empresa”. Um programa de intervenção foi
proposto, com duração estimada de seis meses. A sua inspiração foi difluente, e visou articular a propensão
objectivista inerente à praxeologia, e o subjectivismo de uma sociologia de filiação fenomenológica. O seu
propósito pode dizer-se simplesmente: dar voz à experiência vivida. A análise da justificação, da explicação
individual, muitas vezes inoportuna ou esquecida numa empresa, porque frouxa, vaga ou pouco operativa,
constituiria um possível ponto de ancoragem de decisões de gestão subsequentes.

Num trimestre, foram realizadas 37 entrevistas individuais presenciais a membros da equipa de trabalho da
empresa (cerca de 80% da equipa), nos três locais onde a empresa apresenta instalações físicas em
Portugal. As entrevistas realizadas foram orientadas por cinco eixos considerados pertinentes, em termos
teóricos, na definição de uma experiência pessoal de trabalho numa empresa. A informação reunida foi
analisada e foi constituído um diagnóstico de práticas e de efeitos de práticas, em torno dos quais foram
propostos seis eixos de intervenção gestionária prioritária tendentes ao reforço, transformação ou melhoria
de dimensões particulares da situação existente.

Partindo de um exercício de reflexão sobre a trajetória da intervenção realizada, sugerem-se quatro fatores,
de natureza pessoal, social ou organizacional, implicados no sucesso declarado da abordagem perfilhada,
onde decisões de gestão foram influenciadas pelo emprego in situ de conhecimento sociológico: i) a abertura
existente, em termos contextuais, à heteroglossia, a práticas cuja língua não coincide com uma língua já
disponível; ii) a preparação prévia do sociólogo, plasmada na demonstração in situ de conhecimento
referente ao domínio de atividade da empresa; iii) uma orientação pragmática, expressa por via de um
discurso híbrido, centrado na identificação de práticas (de gestão) resultantes da fertilização cruzada de dois
universos de conhecimento (a gestão e a sociologia) cujo logos se apresenta aparentemente distante; iv) o
efeito de um posicionamento liminar - ser ou parecer ser um outsider, em relação ao quotidiano da empresa.
ER  -