Ciência-IUL    Publicações    Descrição Detalhada da Publicação    Exportar

Exportar Publicação

A publicação pode ser exportada nos seguintes formatos: referência da APA (American Psychological Association), referência do IEEE (Institute of Electrical and Electronics Engineers), BibTeX e RIS.

Exportar Referência (APA)
Cecílio, L. C. O., Reis, A. A. C. Dos, Andreazza, R., Spedo, S., Cruz, N. L. M., Barros, L. S. De...Schveitzer, M. C. (2020). Enfermeiros na operacionalização do Kanban: novos sentidos para a prática profissional em contexto hospitalar?. Ciência e Saúde Coletiva. 25 (1), 283-292
Exportar Referência (IEEE)
L. C. Cecilio et al.,  "Enfermeiros na operacionalização do Kanban: novos sentidos para a prática profissional em contexto hospitalar?", in Ciência e Saúde Coletiva, vol. 25, no. 1, pp. 283-292, 2020
Exportar BibTeX
@article{cecilio2020_1660458776291,
	author = "Cecílio, L. C. O. and Reis, A. A. C. Dos and Andreazza, R. and Spedo, S. and Cruz, N. L. M. and Barros, L. S. De and Carapinheiro, G. and Correia, T. and Schveitzer, M. C.",
	title = "Enfermeiros na operacionalização do Kanban: novos sentidos para a prática profissional em contexto hospitalar?",
	journal = "Ciência e Saúde Coletiva",
	year = "2020",
	volume = "25",
	number = "1",
	doi = "10.1590/1413-81232020251.28362019",
	pages = "283-292",
	url = "http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232020000100283&tlng=pt"
}
Exportar RIS
TY  - JOUR
TI  - Enfermeiros na operacionalização do Kanban: novos sentidos para a prática profissional em contexto hospitalar?
T2  - Ciência e Saúde Coletiva
VL  - 25
IS  - 1
AU  - Cecílio, L. C. O.
AU  - Reis, A. A. C. Dos
AU  - Andreazza, R.
AU  - Spedo, S.
AU  - Cruz, N. L. M.
AU  - Barros, L. S. De
AU  - Carapinheiro, G.
AU  - Correia, T.
AU  - Schveitzer, M. C.
PY  - 2020
SP  - 283-292
SN  - 1413-8123
DO  - 10.1590/1413-81232020251.28362019
UR  - http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232020000100283&tlng=pt
AB  - O Kanban, uma tecnologia de gestão do cuidado caracterizada pela valorização do trabalho multiprofissional e o uso intensivo da informação, tem sido crescentemente utilizado para enfrentar a superlotação dos serviços de emergência hospitalar (SEH). Pesquisadores acompanharam durante dez meses o Kanban em vários setores de um SEH municipal. Suas observações, registradas em diários de campo, foram discutidos em reuniões quinzenais por um coletivo de pesquisadores. O material empírico foi organizado a partir de duas questões: Há mudanças nas “atribuições tradicionais” da enfermagem atuando no Kanban? Há transformações nas relações interprofissionais entre Medicina e Enfermagem na operacionalização do Kanban? Observou-se forte adesão dos enfermeiros ao arranjo, pari passu com uma maior especialização e fragmentação do seu trabalho. Os diaristas assumem funções administrativas tradicionais da enfermagem, enquanto os plantonistas desenvolvem assistência direta aos pacientes. Os enfermeiros consideram que a decisão clínica ainda é do médico, embora o Kanban propicie sua maior influência na decisão. A gestão de grande massa de dados clínico-operacionais pelos enfermeiros, central na operacionalização do Kanban, reforça sua autoridade profissional.
ER  -