Ciência-IUL    Publicações    Descrição Detalhada da Publicação    Exportar

Exportar Publicação

A publicação pode ser exportada nos seguintes formatos: referência da APA (American Psychological Association), referência do IEEE (Institute of Electrical and Electronics Engineers), BibTeX e RIS.

Exportar Referência (APA)
Sousa, T. R. & Santinho, C. (2019). Antropologia da saúde, psiquiatria transcultural e etnopsiquiatria — considerações teóricas. Trabalhos de Antropologia e Etnologia. 59, 79-90
Exportar Referência (IEEE)
T. R. Sousa and M. C. Santinho,  "Antropologia da saúde, psiquiatria transcultural e etnopsiquiatria — considerações teóricas", in Trabalhos de Antropologia e Etnologia, vol. 59, pp. 79-90, 2019
Exportar BibTeX
@article{sousa2019_1638382536362,
	author = "Sousa, T. R. and Santinho, C.",
	title = "Antropologia da saúde, psiquiatria transcultural e etnopsiquiatria — considerações teóricas",
	journal = "Trabalhos de Antropologia e Etnologia",
	year = "2019",
	volume = "59",
	number = "",
	pages = "79-90",
	url = "https://revistataeonline.weebly.com/uacuteltimo-volume.html"
}
Exportar RIS
TY  - JOUR
TI  - Antropologia da saúde, psiquiatria transcultural e etnopsiquiatria — considerações teóricas
T2  - Trabalhos de Antropologia e Etnologia
VL  - 59
AU  - Sousa, T. R.
AU  - Santinho, C.
PY  - 2019
SP  - 79-90
SN  - 0304-243X
UR  - https://revistataeonline.weebly.com/uacuteltimo-volume.html
AB  -  O presente artigo surge na sequência da análise teórica e do trabalho etnográfico realizado
em 2017 e 2018, condensada na dissertação de mestrado em Antropologia sobre saúde mental, psiquiatria transcultural e requerentes de asilo/refugiados. Procurou-se, aqui, trilhar pela análise referente aos
modelos da psiquiatria moderna e a importância do papel da antropologia (da saúde) na produção de
novas formulações teóricas, que dizem respeito à “transculturalidade” na clínica. Importa salientar
que, cada vez mais, é necessária a interdisciplinaridade de ambas as áreas, pois o contrário vem sido
revelado como conducente a práticas clínicas transculturais estéreis, que fragmentam a realidade trazida
pelos imigrantes, refugiados e requerentes de asilo. Serve o presente para realçar a importância deste
discurso polimorfo.
ER  -