Ciência-IUL    Publicações    Descrição Detalhada da Publicação    Exportar

Exportar Publicação

A publicação pode ser exportada nos seguintes formatos: referência da APA (American Psychological Association), referência do IEEE (Institute of Electrical and Electronics Engineers), BibTeX e RIS.

Exportar Referência (APA)
Almeida, E. C. (2019). Angola nos caminhos do centro-globalismo africano. In Santos, F. D. (Ed.), Atas do 1.º Congresso Internacional de Angolanística. (pp. 14-28). Lisboa, Portugal: CEDESA.
Exportar Referência (IEEE)
E. L. Almeida,  "Angola nos caminhos do centro-globalismo africano", in Atas do 1.º Congr.o Internacional de Angolanística, Santos, F. D., Ed., Lisboa, Portugal, CEDESA, 2019, vol. 1, pp. 14-28
Exportar BibTeX
@inproceedings{almeida2019_1660907805702,
	author = "Almeida, E. C.",
	title = "Angola nos caminhos do centro-globalismo africano",
	booktitle = "Atas do 1.º Congresso Internacional de Angolanística",
	year = "2019",
	editor = "Santos, F. D.",
	volume = "1",
	number = "",
	series = "",
	pages = "14-28",
	publisher = "CEDESA",
	address = "Lisboa, Portugal",
	organization = "Angola Research Network",
	url = "https://www.angolaresearchnetwork.org/"
}
Exportar RIS
TY  - CPAPER
TI  - Angola nos caminhos do centro-globalismo africano
T2  - Atas do 1.º Congresso Internacional de Angolanística
VL  - 1
AU  - Almeida, E. C.
PY  - 2019
SP  - 14-28
CY  - Lisboa, Portugal
UR  - https://www.angolaresearchnetwork.org/
AB  - O continente africano tem se apresentado aos olhos de muitos analistas e académicos como uma plataforma onde o globalismo político e securitário mais se tem feito sentir. Alguns países muito têm contribuído para essa imagem. Angola, desde há muitos que tem sido um dos países que mais contribui para tornar África nessa plataforma temática, quer a nível continental, quer nas relações cm as principais potências políticas e económicas Mundiais.
O tema apresentado vai procura mostrar isso mesmo. Como Angola, desde que se tornou independente e, principalmente, após o fim da I crise político-militar interna, ou seja, desde 1992, aparece, nomeadamente, no centro e centro-austral de África como um pilar, como um dos principais actores para a afirmação do centro-globalismo africano, reforçado após as 2 Guerras no Congo Democrático e na resolução que levou ao fim da crise do Reino do Lesoto, e ao Memorando e Luanda, de Agosto de 2019, que tenta colocar a Paz entre a RDC e Ruanda e entre Ruanda e Uganda.
ER  -