Ciência-IUL    Publicações    Descrição Detalhada da Publicação    Exportar

Exportar Publicação

A publicação pode ser exportada nos seguintes formatos: referência da APA (American Psychological Association), referência do IEEE (Institute of Electrical and Electronics Engineers), BibTeX e RIS.

Exportar Referência (APA)
Alexandre, J., Agulhas, R., Carvalho, H. & Lopes, C. (2021). “Aventuras do Búzio e da Coral” – Benefícios do jogo de prevenção universal do abuso sexual para crianças em idade escolar. Análise Psicológica. 39 (1), 53-64
Exportar Referência (IEEE)
J. C. Alexandre et al.,  "“Aventuras do Búzio e da Coral” – Benefícios do jogo de prevenção universal do abuso sexual para crianças em idade escolar", in Análise Psicológica, vol. 39, no. 1, pp. 53-64, 2021
Exportar BibTeX
@article{alexandre2021_1638407612577,
	author = "Alexandre, J. and Agulhas, R. and Carvalho, H. and Lopes, C.",
	title = "“Aventuras do Búzio e da Coral” – Benefícios do jogo de prevenção universal do abuso sexual para crianças em idade escolar",
	journal = "Análise Psicológica",
	year = "2021",
	volume = "39",
	number = "1",
	doi = "10.14417/ap.1601",
	pages = "53-64",
	url = "http://publicacoes.ispa.pt/index.php/ap/about"
}
Exportar RIS
TY  - JOUR
TI  - “Aventuras do Búzio e da Coral” – Benefícios do jogo de prevenção universal do abuso sexual para crianças em idade escolar
T2  - Análise Psicológica
VL  - 39
IS  - 1
AU  - Alexandre, J.
AU  - Agulhas, R.
AU  - Carvalho, H.
AU  - Lopes, C.
PY  - 2021
SP  - 53-64
SN  - 0870-8231
DO  - 10.14417/ap.1601
UR  - http://publicacoes.ispa.pt/index.php/ap/about
AB  - O abuso sexual é uma problemática com elevada prevalência e com um impacto negativo muito significativo na vida de uma criança ou jovem, da sua família e da comunidade. Neste contexto, é fundamental disseminar a utilização de materiais de prevenção universal. No presente artigo procurou- -se avaliar em que medida o jogo “Vamos prevenir! As aventuras do Búzio e da Coral” (Agulhas et al., 2016), destinado a crianças com idades compreendidas entre os 6 e os 10 anos de idade, promove um conjunto de conhecimentos para lidar com a problemática do abuso sexual. Para o efeito, foi levado a cabo um estudo quantitativo (com pré e pós teste), com uma amostra de 101 crianças dessa faixa etária e de ambos os sexos, que jogaram o jogo. Os resultados demonstram que as crianças avaliam o jogo de uma forma muito positiva, verificando-se uma diminuição estatística mente significativa de respostas incorretas e de respostas incertas do pré-teste (i.e., antes de jogar o jogo) para o pós-teste (i.e., após jogar o jogo). Ainda que modestos, estes resultados apontam para a importância de apostar em materiais que procurem aumentar a compreensão das crianças sobre os riscos e potenciar fatores de proteção no âmbito da problemática do abuso sexual.
ER  -