Capítulo de livro
A CO-CONSTRUÇÃO DA CIDADANIA DA CRIANÇA /JOVEM NO SÉCULO XXI
Título Livro
EXPERIENCIAS MUNDIALES DE CIUDADANÍA DE LA INFANCIA Y ADOLESCENCIA
Ano
2019
Língua
Português
País
Brasil
Mais Informação
--
Abstract/Resumo
Na Europa Ocidental a noção de infância, segundo Ariés (1973), não estava definida até o século XVII, verificando-se um grande desconhecimento sobre o mundo da criança e uma forte valorização da identidade do adulto como superior e agente de autoridade. Após a primeira guerra mundial, surgem as primeiras preocupações com os direitos da criança, sendo de assinalar a primeira Declaração dos Direitos da Criança em Genebra, no ano de 1923. Ainda na primeira metade do século XX, surge uma nova construção social da infância, reconhecendo a criança como um cidadão no quadro do conceito de propriedade da família. Em 1946 é criado o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), seguindo-se a publicação da Declaração dos Direitos da Criança em 1959 e em 1989 é aprovada a convenção dos Direitos da Criança, hoje ratificada por todos os países à exceção dos EUA. (Ferreira, 2011). Segundo, Almeida (1998), podemos identificar no percurso histórico da infância três marcos fundamentais, ou sejam: Pré-modernidade, a criança era considerada apenas um adulto em ponto pequeno, ao qual eram exigidas as mesmas responsabilidades que a um adulto e quando estas não eram cumpridas eram alvo de sanções inadequadas à sua condição e idade.
Agradecimentos/Acknowledgements
--
Palavras-chave
Criança,Cidadania,co-construção. Serviço Social