Publicação em atas de evento científico
A emigração portuguesa em contexto de crise econômica
Mauro Augusto Santos (Santos, Mauro Augusto); Filipa Pinho (Pinho, Filipa);
XIX Encontro Nacional de Estudos Populacionais, São Pedro-SP. Anais [recurso eletrônico] / XIX. Encontro Nacional de Estudos Populacionais: População, Governança e Bem-Estar, 24 a 28 de novembro de 2014 / São Pedro, SP: ABEP
Ano (publicação definitiva)
2014
Língua
Português
País
Brasil
Mais Informação
Web of Science®

Esta publicação não está indexada na Web of Science®

Scopus

Esta publicação não está indexada na Scopus

Google Scholar

N.º de citações: 4

(Última verificação: 2024-07-18 11:49)

Ver o registo no Google Scholar

Abstract/Resumo
Nos últimos anos, a emigração portuguesa voltou a receber a atenção de cientistas sociais, da mídia e da opinião pública devido às notícias sobre o seu crescimento e às relações entre esse crescimento e a crise econômica, em particular com o aumento da taxa de desemprego. Nesta emigração mais recente, a que se dirige ao Brasil tem sido referida na imprensa, já há algum tempo, juntamente com a que se dirige para Angola, como obedecendo a uma tendência que seria a de um “retorno às ex-colónias”. Ainda que em termos estatísticos não revele um peso elevado, se comparada a outros destinos, os dados do Censo Demográfico Brasileiro de 2010 permitem traçar um perfil dos indivíduos que emigraram recentemente de Portugal para esse destino. A emigração portuguesa tem existido sempre, com aumento depois da entrada do país na CEE e reforço com a adesão à União Europeia. Desde a segunda metade do século XX a emigração dirigia-se, sobretudo, para destinos europeus. Entretanto, houve o agravamento de uma crise financeira iniciada no mercado imobiliário dos Estados Unidos e com repercussões mundiais a partir de 2008. A crise econômica mundial encontrou Portugal em uma situação vulnerável em que se associavam baixas taxas crescimento econômico a uma alta necessidade de financiamento externo de sua dívida pública. Em alternativa aos destinos europeus, e que nas últimas décadas constituíam os preferidos pelos emigrantes – com acesso facilitado pela liberdade de circulação europeia – surge o Brasil. Esta nova emigração pode ser analisada através do quesito de data fixa do Censo Demográfico de 2010, que nos informa o local onde o indivíduo residia há exatos cinco anos antes da realização do censo. Como temos também quesitos que nos informam a nacionalidade do entrevistado, caso esse não seja brasileiro nato, podemos identificar, através do cruzamento de variáveis os portugueses que estavam residindo em Portugal em 2005 e que, já em 2010, foram recenseados no Brasil. Segundo os dados do censo, 4.465 portugueses, que em 2005 estavam residindo em Portugal, foram recenseados como residentes no Brasil em 2010. Desses, 829 (18,6%) eram brasileiros naturalizados, ou seja, embora tenham nas cido em Portugal, possuíam cidadania brasileira. O objetivo do artigo é, a partir do quesito de data fixa do Censo Demográfico de 2010, traçar um perfil dos indivíduos que emigraram recentemente de Portugal com destino ao Brasil.
Agradecimentos/Acknowledgements
--
Palavras-chave
Migração internacional,Crise económica,Portugal
  • Sociologia - Ciências Sociais
  • Geografia Económica e Social - Ciências Sociais