Artigo em revista científica
Activity-Based Costing and Management (ABC/M) nas 500 maiores empresas em Portugal
Alexandre Tomás (Tomás, A.); Maria Major (Major, M. J.); José Pinto (Pinto, J. C.);
Título Revista
Contabilidade e Gestão
Ano
2008
Língua
Português
País
Portugal
Mais Informação
Abstract/Resumo
O ABC/M tem sido objecto, desde o seu desenvolvimento nos finais da década de 80, de uma intensa divulgação. diversos investigadores têm notado, a existência de um fosso entre a teoria e a prática (Scapens, 1994, 2006), observando que o número de implementações de sistemas ABC/M é relativamente reduzido face à promoção que tem recebido. O presente trabalho visa analisar o grau de adopção do ABC/M entre as 500 maiores empresas não fnanceiras a operarem em Portugal, recorrendo ao questionário utilizado por Innes et al. (2000) no Reino Unido, replicado por Cotton et al. (2003) na nova Zelândia, e comparar os resultados com os obtidos por estes autores nestes países. Os resultados obtidos indicam que, 22% das grandes empresas em Portugal adoptaram o ABC/M e que 27%, ainda, admitem vir a adoptá-lo num futuro muito próximo (maioritariamente, entre 1 a 2 anos). Apesar das diversas vantagens apontadas na literatura para o ABC/M, o nível de implementação em Portugal, bem como no Reino Unido e na nova Zelândia revela-se relativamente reduzido, o que parece confirmar o argumento de que existe um desfasamento entre as técnicas prescritas nos manuais e a realidade.
Agradecimentos/Acknowledgements
--
Palavras-chave
Activity-Based Costing,Novas práticas de controlo de Gestão,Limitações dos sistemas tradicionais,Custeio baseado nas actividades