Artigo em revista científica
Do património arquitectónico ao património literário: A quinta de nossa senhora do Amparo em Romarigães
Ana Maria Martins (Martins, A.); Mafalda Sampaio (Sampaio, M.);
Título Revista
Ubimuseum: Revista Online do Museu de Lanifícios da Universidade da Beira Interior
Ano
2014
Língua
Português
País
Portugal
Mais Informação
Abstract/Resumo
A Quinta de Nossa Senhora da Amparo, localizada em Romarigães, Paredes de Coura, foi imortalizada no romance/crónica ou crónica romanceada, de Aquilino Ribeiro, intitulada A Casa Grande de Romarigães. O edificado característico da nobreza rural é composto por casa solarenga, igreja e anexos, actualmente classificado como Imóvel de Interesse Público. Não podemos deixar de repetir que a obra-prima do Mestre Aquilino captou o espírito daquele espaço, a sua identidade rural, a natureza no seu todo e as suas gentes, a civilização e a cultura de várias gerações de um Portugal Antigo, de que Quinta de Nossa Senhora do Amparo pode ser considerada mais um ícone. Debater-nos-emos aqui entre os conceitos de espaço natural e construído e de território literário e, portanto, também artístico, logo, objeto do nosso trabalho.
Agradecimentos/Acknowledgements
--
Palavras-chave
Património, Arquitectura, Literatura, Romarigães, Minho