Comunicação em evento científico
«Movimento Operário e poder político. Uma aliança? (1850-1860)»
João Lázaro (Lázaro, João.);
Título Evento
XXXIV APHES Meeting - Knowledge. Production. Supply. From the Middle Ages to the 21st Century.
Ano
2014
Língua
Português
País
Portugal
Mais Informação
--
Abstract/Resumo
Esta comunicação tem como objeto de análise o movimento operário português entre 1850-1860, inserido numa década moderadamente explorada pela historiografia. Estas balizas estabelecerem limites precisos, correspondendo a um período conhecido pela consolidação do projeto liberal com um forte espírito desenvolvimentista (Regeneração), ao passo que surge um despontar do movimento operário em espaço público encabeçado por uma geração de intelectuais socialistas (Sousa Brandão, Lopes de Mendonça, Henriques Nogueira, o operário tipográfico Vieira da Silva Júnior entre outros). Na fase final desta década ocorrem fortes crises alimentares e uma epidemia de febre-amarela em Lisboa. Contingências que vão ser marcantes quer no movimento operário como no próprio poder político. Esta comunicação — fruto da dissertação de mestrado O Despontar do Movimento Operário na Esfera Pública (1850-1860) — pretende analisar e abordar as afinidades existentes entre o movimento operário português e o poder político vigente. Um trabalho sustentado por periódicos operários (Eco dos Operários, jornal do Centro Promotor e A Federação), os debates parlamentares e alguma legislação entre outra documentação. De facto, a elite socialista, particularmente o Centro Promotor dos Melhoramentos das Classes Laboriosas, não fica à margem da sociedade e dos problemas. Por diversas vezes o movimento operário português é chamado a participar em vários, e importantes, assuntos da vida nacional. Assim, pretendo demonstrar algumas interações entre estes dois sectores, algumas, porventura, desconhecidas da historiografia. Uma dinâmica sustentada na ideia de desenvolver o própria país, sobretudo o sector industrial. É o caso da iniciativa governamental de Fontes Pereira de Melo que pretendia levar cinco trabalhadores portugueses à exposição Universal de Paris de 1855. Neste âmbito foi concedido um importante papel ao Centro Promotor na eleição dos trabalhadores que visitaram a exposição de Paris financiados pelo governo. Entre estes trabalhadores estava José Maria Chaves, um prestigiado dirigente do movimento operário e antigo redator do Eco dos Operários. O Centro Promotor ainda teve representado, na figura do seu presidente, na comissão nomeada pelo Governo do Duque de Loulé, em 1857, que tinha como objetivo estabelecer uma sopa económica para as camadas populares durante a epidemia de febre-amarela em Lisboa. Ao passo que apresentou um largo debate em torno das crises de subsistências.
Agradecimentos/Acknowledgements
--
Palavras-chave
Movimento Operário,mundo operário,interação política.