Periódico generalista
Porque as nossas Universidades não aparecem nos rankings universitários
Eugénio Costa Almeida (Almeida, E. C.);
Título Revista/Livro/Outro
Jornal O Kwanza
Ano
2020
Língua
Português
País
Canadá
Mais Informação
Web of Science®

Esta publicação não está indexada na Web of Science®

Scopus

Esta publicação não está indexada na Scopus

Google Scholar

N.º de citações: 0

(Última verificação: 2022-08-09 14:18)

Ver o registo no Google Scholar

Abstract/Resumo
O Jornal de Angola faz hoje, 27 de Maio de 2020, estampa do facto das nossas Universidades não estarem entre as «200 melhores universidades africanas, no “ranking” do Webometrics» – mas encontramos a primeira entre as 500 melhores, com a UCAN (Universidade Católica de Angola), na posição 412 e Óscar Ribas, na posição 619 –, embora reconheça que no «Ranking Universitário Africano de 2020, do Unirank» estejam, pelo menos, 3 Universidades, sendo a primeira a «Universidade Privada de Angola, que aparece em 70º lugar, (seguida da) Universidade Católica de Angola em 79º lugar (e da) e a Universidade Agostinho Neto na posição 98» e a Universidade Óscar Ribas, em 117º. Todavia, se acompanharmos este ranking da Unirank, iremos constatar que existem, pelo menos, mais outras duas Universidades angolanas, que o texto omite: a Universidade Óscar Ribas, em 117º, e a Universidade Metodista de Angola, em 167º. Ou seja, neste ranking temos, ainda assim, 5 Universidades entre as 200 melhores Universidades africanas.
Agradecimentos/Acknowledgements
--
Palavras-chave
Angola,Universidades,ranking universitário
  • Ciências da Educação - Ciências Sociais