Comunicação em evento científico
Porto vs Benfica: uma análise perspectivista a partir do Twitter
Tiago Lapa (Lapa, T.); Branco di Fátima (Fátima, B.); Célia Gouveia (Gouveia, C.);
Título Evento
X Congresso Português de Sociologia
Ano
2018
Língua
Português
País
Portugal
Mais Informação
Abstract/Resumo
O artigo analisa a perspectiva de sete comunidades virtuais e os tipos de relações que elas estabeleceram no Twitter durante o jogo do FC Porto e SL Benfica, realizado no dia 1o de dezembro de 2017, a contar para a 13a jornada do calendário oficial da Liga NOS. O objetivo é identificar e compreender as dinâmicas entre os grupos e seus atores, assim como a formação e propagação dos discursos em estruturas reticulares complexas (Wasserman e Faust, 1994). A eleição do microblogging deve-se a três fatos. Primeiro, porque o seu mote é um convite para partilhar informações num determinado momento, principalmente, em eventos ao vivo. Segundo, porque a própria limitação de mensagens textuais em no máximo 140 caracteres não permite a criação de discursos complexos ou argumentativos. Terceiro, porque grande parte da conversação sobre o futebol português passa pelo Twitter (Gouveia, Lapa e Di Fátima, 2018). A estratégia metodológica é a Análise de Redes Sociais, dividida em três fases: extração, tratamento e visualização de dados. A extração foi realizada com o algoritmo Twitter Streaming Importe (TSI), na data do jogo, gerando redes de tweets e de retweets associadas por hashtags. A coleta de dados reuniu 301.451 mensagens de 124.459 perfis e 723 hashtags associados pelas palavras “Porto” e “Benfica”, que indicam um conjunto de metadados: nome do perfil, mensagem partilhada, hora de publicação, endereço URL de imagens, número ID da conta, relação dos utilizadores etc. Para a fase de tratamento, foi empregado um script Python criado por Nelson Reis (Labic/UFES) para a mapear as geocoordenadas dos tweets e retweets. Para a etapa de visualização dos dados foi usado o programa Gephi, que permite trabalhar um conjunto de estatísticas e de filtros, criando grafos em que os perfis são representados por nós e, as mensagens, por arestas. Os resultados da pesquisa parecem indicar a importância crescente dos fãs como embaixadores dos clubes, num cenário cada vez mais moldado por fenómenos em redes complexas (Freeman, 2009). Também apontam para os perfis mais importantes do jogo, como: @TopoSul92, @B24, @HumorAoPontapé, @BoloPoste e @GoalPoint. Como já revelado por outros trabalhos semelhantes, a imprensa desportiva não foi capaz de criar conteúdo percebido como relevante para a rede do clássico (Gouveia, Lapa e Di Fátima, 2018), transferindo o seu poder de influenciar na Twittersphere para perfis individuais e geridos pelos grupos de afetos aos clubes. Já a página oficial do FC Porto e SL Benfica tiveram atuações diferentes, com o Porto mais próximo de milhares de perfis individuais e, o Benfica, de importantes hubs do confronto. Em larga medida, resultados como esses indicam a estratégia comunicacional das organizações na rede do clássico. Sobre as sete comunidades analisadas, revela-se que o discurso foi assinalado por momentos do jogo, perspectivas de amor ao clube e ódio aos adversários.
Agradecimentos/Acknowledgements
--
Palavras-chave
Futebol,Fãs,Perspetivismo,Análise de Redes,Twitter