Artigo em revista científica
Uma NATO obsoleta ou renovada para as próximas décadas?
Bruno Reis (Reis, B. C.);
Título Revista
Relações Internacionais
Ano
2020
Língua
Português
País
Portugal
Mais Informação
Web of Science®

Esta publicação não está indexada na Web of Science®

Scopus

Esta publicação não está indexada na Scopus

Google Scholar

Esta publicação não está indexada no Google Scholar

Abstract/Resumo
A NATO atingiu a idade da reforma obrigatória. Sete décadas são muitos anos na vida de uma pessoa, mas também são muitos anos para uma aliança militar. Não há exemplos na história de alianças multilaterais, aquelas que envolvem um grande número de países, que tenham durado tanto tempo. Será o colapso da NATO, por isso, inevitável? Se a NATO estiver realmente em risco, para Portugal as consequências seriam grandes e muito perturbadoras para os termos da sua inserção internacional e um dos pilares da sua defesa desde o final da Segunda Guerra Mundial. Defendemos neste texto que o fim da NATO não é inevitável (ou desejável), e avançamos áreas concretas em que pode melhorar a sua coesão e eficácia.
Agradecimentos/Acknowledgements
--
Palavras-chave
NATO,Portugal,Multilateralismo,Alianças