Doação e Transplantes de Órgãos: a Complexidade do Trabalho Interprofissional
Doação e Transplantes de Órgãos: a Complexidade do Trabalho Interprofissional
Descrição

O presente estudo pretende identificar e compreender através da perceção dos profissionais de saúde integrados nos Centros de transplatação de órgãos/tecidos as potencialidades e fragilidades da relação interprofissional. Caracterizar o perfil socioeconômico dos profissionais; apresentar as potencialidades e fragilidades do trabalho interprofissional dos programas; apontar como os profissionais expõem suas contribuições para a literacia em saúde as estratégias para aumento das taxas de transplantes no país e verificar as contribuições do profissional para melhoria na relação de trabalho. Este estudo se justifica pelo fato que a doação e transplantes de órgãos/tecidos é uma temática de interesse mundial, em vista que as efetivações destes procedimentos têm um impato na sobrevida de diversas pessoas acometidas de doenças crônicas graves em que somente os transplantes é a opção de sobrevida e qualidade de vida. Os ganhos esperados nesta investigação serão a ampliação do conhecimento das realidades vivenciadas por profissionais de saúde nos programas de doação e transplantes numa perspectiva de relações de trabalho na saúde luso brasileiro, procurando compreender melhor oenvolvimento destes trabalhadores nos processos que de alguma forma possam refletir nos índices de transplantes de órgãos e das condições de trabalho.

A realização dos transplantes de órgãos e tecidos é uma conquista para a sociedade em geral e para o sistema de saúde. Especificamente, no Brasil, esses procedimentos merecem destaque na medida em que mais de 90% dos transplantes são financiados por um sistema público de saúde (Araujo e Massarolo, 2014). Em Portugal o número de órgãos transplantados atingiu os 878 em 2019, mais 49 (5,9%) face ao ano anterior, tendo o transplante pulmonar registado o maior aumento de sempre, segundo dados divulgados pelo Instituto Português do Sangue Transplantação (IPST, 2021). Procedimentos de alta complexidade os transplantes de órgãos exigem capacitação profissional adequada e atualização permanente e rigorosa dos recursos humanos dedicados a esta atividade. Todas as etapas envolvidas necessitam ser bem executadas e articuladas entre si, desde o momento em que se confirma o diagnóstico de morte encefálica, até o implante do órgão receptor. 

Parceiros Internos
Centro de Investigação Grupo de Investigação Papel no Projeto Data de Início Data de Fim
CIES-Iscte Família, Gerações e Saúde Parceiro 2021-06-14 2022-07-01
Parceiros Externos
Instituição País Papel no Projeto Data de Início Data de Fim
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS (UNICAMP) Brasil Parceiro 2021-06-14 2022-07-01
Equipa de Projeto
Nome Afiliação Papel no Projeto Data de Início Data de Fim
Jorge Manuel Leitão Ferreira CIES-Iscte [Política e Cidadania] Investigador 2021-06-14 2022-07-01
Maria Inês E. Santo CIES-Iscte [Política e Cidadania] Investigadora 2021-07-07 2022-07-01
Financiamentos do Projeto

Não foram encontrados registos.

Outputs (Publicações)

Não foram encontrados registos.

Outputs (Outros)

Não foram encontrados registos.

Ficheiros do projeto

Não foram encontrados registos.

Com o objetivo de aumentar a investigação direcionada para o cumprimento dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável para 2030 das Nações Unidas, é disponibilizada no Ciência-IUL a possibilidade de associação, quando aplicável, dos projetos científicos aos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável. Estes são os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável identificados para este projeto. Para uma informação detalhada dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, clique aqui.

Doação e Transplantes de Órgãos: a Complexidade do Trabalho Interprofissional
2021-06-14
2022-07-01