Lista de Projetos

Esta é a lista de projetos disponíveis no sistema. Para saber mais detalhes sobre um projeto clique no seu nome ou imagem. Também pode procurar por um determinado projeto na caixa de pesquisa em baixo.



According to the last WESO report, there are over 1.4bn workers in vulnerable jobs worldwide, with numbers expected to rise in 2020 due to COVID-19. Several attempts have been made at both domestic and international levels to address these concerns. This includes efforts through the Sustainable Development Goals process, which includes a specific statistical indicator to measure informal employment (8.3.1), the formulation of SDG8 (decent work) and SDG9 (sustainable industrialization). Across countries and world regions, the degree to which SDGs have been used to address youth issues and inform national policies varies significantly. Indeed, in spite of the fact that the great majority of states have formally committed to addressing the SDGs, including those related to insecure employment, there is little evidence to indicate that developing regions currently have the capacity to systematically study the problems if informal employment and vulnerability in ways that facilitate the development and implementation of concrete viable solutions. This is due, in our view, to two major challenges. First, although a number of approaches that have been used inside the EU, there has been little, if any, attempt to adapt the existing framework elsewhere. Second, no systematic review of anti-precariousness policy has been attempted beyond the EU region. LABOUR is a research and training programme designed to address the above-mentioned shortfalls of research and development approaches with particular attention to a region where this is particularly worrying concern. Informal employment in Asia is estimated to account for 68.2% of the active population. By gathering a team of 14 participants that includes academic and non-academic partners working on labour insecurity, we aim not only at producing specialists on the topic and on the region but also at proposing concrete mitigation measures that can be taken into account by decision-makers and development organisa...
Informação do Projeto
2021-10-21
2025-10-20
Parceiros do Projeto
O universo do estudo Práticas Leitorais dos Mediadores de Leitura é constituído pelos professores do ensino básico e secundário, os professores bibliotecários da Rede de Bibliotecas Escolares (RBE) e os bibliotecários das bibliotecas públicas da Rede Nacional de Bibliotecas Públicas (RNBP) na sua relação com os diversos públicos - crianças, jovens e adultos. A metodologia é mista sequencial, qualitativa – quantitativa.  O estudo realiza-se no âmbito do Plano Nacional de Leitura 2027.
Informação do Projeto
2021-10-01
2022-09-30
Parceiros do Projeto
A investigação científica tem demonstrado inequivocamente que as alterações climáticas têm implicações profundas e multifacetadas para as sociedades, assim como para os sistemas biofísicos, e que tais implicações agravar-se-ão nas décadas futuras. Os impactos climáticos, e as medidas de mitigação e adaptação para os conter, irão afetar particularmente as pessoas que são atualmente jovens. Em Portugal, e em todo o mundo, o futuro dos jovens e de outros grupos etários também será moldado por outros desafios ligados à sustentabilidade, como a pandemia de COVID-19 tem mostrado. O Painel Intergovernamental para as Alterações Climáticas (IPCC, 2018) e múltiplos analistas têm vindo a destacar a necessidade de uma ‘mudança sistémica transformativa’ de modo a cumprir os objetivos do Acordo de Paris e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030. Diversas abordagens e propostas têm surgido para responder à necessidade de fomentar transformações para a sustentabilidade social, económica e ambiental, assim como de apoiar os seus agentes e impulsionadores (Linner & Wibeck, 2019). Vários estudos têm revelado que os discursos tecnocráticos têm uma posição dominante nos media e noutros espaços públicos, a par com perspetivas que se focam na mudança individual (Carvalho et al., 2018). No entanto, as transformações para a sustentabilidade são eminentemente políticas, com as questões de poder, justiça e redistribuição no seu cerne. O pluralismo político e a contestação são fundamentais para ultrapassar a condição pós-política das alterações climáticas e para re-politizar o Antropoceno, nomeadamente através da exposição e debate de visões divergentes sobre futuros sócio-ecológicos possíveis (Lövbrand et al., 2015). As recentes mobilizações sociais pelo clima demonstram claramente que os jovens estão ou querem ser envolvidos nos debates sobre as alterações climáticas e na construção de futuros climáticos. O projeto JUSTFUTURES pretende contribuir para o estudo da ag...
Informação do Projeto
2021-03-29
2024-03-28
Parceiros do Projeto
Informação do Projeto
2021-03-01
2024-02-29
Parceiros do Projeto
No puzzle da transformação socio-ecológica das zonas áridas do planeta, a mudança religiosa é uma peça fulcral. Este projeto pretende investigar como os padrões de transformaçãoreligiosa se moldam pelas alterações ambientais em zonas áridas da Ásia, África e América do Norte, mais especificamente nas estepes da Mongólia, nos sistemas pastoris eagrícolas do Quénia e de Moçambique, e nas Grandes Planícies dos EUA.As zonas áridas e semiáridas cobrem 41% do planeta e sustentam dois mil milhões de pessoas, muitas delas em insegurança alimentar, e que sofrem particularmente com asalterações ambientais globais[ST09]. A forma como as populações das zonas áridas asiáticas, africanas e americanas, dependentes dos seus recursos naturais, são afetadas, tem sido amplamente estudado. As zonas áridas são o local de origem das grandes religiões monoteístas. O Cristianismo tem-se expandido na Ásia e na África Subsaariana, sendo neste momento a segundareligião do mundo com maior crescimento, após o Islão, e o budismo tem recuperado o seu espaço na Ásia Interior. Nas zonas áridas, a revitalização espiritual, aradicalização e a conversão às religiões globais estão a ocorrer em paralelo com alterações culturais; diversificação económica; marginalização e instabilidade políticas; alterações na gestão da terra; conflitos por recursos naturais; agitação social e alterações climáticas. Estudos têm demonstrado o poder local das religiões: o cristianismo pentecostal está a tornar-se uma força política em África ; a radicalização islâmica destabiliza partes da Ásia Interior e África; e o Evangelismo, e as crenças budistas/xamanísticas moldam, respetivamente, a política norte-americana e da Ásia Interior. As organizações religiosas têm liderado os esforços de progresso nos países em desenvolvimento. No entanto, esses trabalhos não têm estudado a influência das instituições religiosas, crenças e práticas na gestão ambiental, nem analisado o papel das alterações religiosas na mediação das dinâmic...
Informação do Projeto
2021-03-01
2023-02-28
Parceiros do Projeto