Lista de Projetos

Esta é a lista de projetos disponíveis no sistema. Para saber mais detalhes sobre um projeto clique no seu nome ou imagem. Também pode procurar por um determinado projeto na caixa de pesquisa em baixo.



According to the last WESO report, there are over 1.4bn workers in vulnerable jobs worldwide, with numbers expected to rise in 2020 due to COVID-19. Several attempts have been made at both domestic and international levels to address these concerns. This includes efforts through the Sustainable Development Goals process, which includes a specific statistical indicator to measure informal employment (8.3.1), the formulation of SDG8 (decent work) and SDG9 (sustainable industrialization). Across countries and world regions, the degree to which SDGs have been used to address youth issues and inform national policies varies significantly. Indeed, in spite of the fact that the great majority of states have formally committed to addressing the SDGs, including those related to insecure employment, there is little evidence to indicate that developing regions currently have the capacity to systematically study the problems if informal employment and vulnerability in ways that facilitate the development and implementation of concrete viable solutions. This is due, in our view, to two major challenges. First, although a number of approaches that have been used inside the EU, there has been little, if any, attempt to adapt the existing framework elsewhere. Second, no systematic review of anti-precariousness policy has been attempted beyond the EU region. LABOUR is a research and training programme designed to address the above-mentioned shortfalls of research and development approaches with particular attention to a region where this is particularly worrying concern. Informal employment in Asia is estimated to account for 68.2% of the active population. By gathering a team of 14 participants that includes academic and non-academic partners working on labour insecurity, we aim not only at producing specialists on the topic and on the region but also at proposing concrete mitigation measures that can be taken into account by decision-makers and development organisa...
Informação do Projeto
2021-10-21
2025-10-20
Parceiros do Projeto
O universo do estudo Práticas Leitorais dos Mediadores de Leitura é constituído pelos professores do ensino básico e secundário, os professores bibliotecários da Rede de Bibliotecas Escolares (RBE) e os bibliotecários das bibliotecas públicas da Rede Nacional de Bibliotecas Públicas (RNBP) na sua relação com os diversos públicos - crianças, jovens e adultos. A metodologia é mista sequencial, qualitativa – quantitativa.  O estudo realiza-se no âmbito do Plano Nacional de Leitura 2027.
Informação do Projeto
2021-10-01
2022-09-30
Parceiros do Projeto
The aspiration to secure the wellbeing of children and young people is explicit in Grand Challenges such as the UN’s Sustainable Development Goals. The EU has similarly highlighted the importance of securing the future of children and young people. It has become accepted that inequalities must be thought of longitudinally and not regarded as static events unrelated to prior events and future likelihoods. Policy makers must ensure that they base their policy interventions and adjustments on the best evidence available and this must include, inter alia, cohort survey data. COORDINATE will begin to fill the serious and extensive gaps in the availability of robust and suitable data for the monitoring and evaluation of child wellbeing in Europe. The COORDINATE project brings together 22 partners from 14 countries who will initiate the community of researchers and organisations that will drive forwards the coordinated development of comparative birth cohort panel survey research in Europe. COORDINATE will: • Facilitate improved access to international birth cohort panel and cross-sectional survey data • Extend the consortium network to maximise EU and European coverage for a future Europe wide accelerated birth cohort survey • Undertake joint research in the form of a large-scale cohort pilot survey using a harmonised instrument and research design in key European countries The infrastructural community initiated by COORDINATE will benefit from enhanced access to current infrastructural data platforms, and will promote the harmonisation of and improve access to international cohort panel survey data in the study of children as they grow up. COORDINATE continues the research initiated in the FP7 Measuring Youth Well Being project (GA613368) and the H2020 European Cohort Development Project (GA777449) to prepare the next phases of Europe’s first cross-national accelerated birth cohort survey: EuroCohort - Growing Up in Digital Europe (GUIDE).
Informação do Projeto
2021-04-01
2023-03-31
Parceiros do Projeto
A investigação científica tem demonstrado inequivocamente que as alterações climáticas têm implicações profundas e multifacetadas para as sociedades, assim como para os sistemas biofísicos, e que tais implicações agravar-se-ão nas décadas futuras. Os impactos climáticos, e as medidas de mitigação e adaptação para os conter, irão afetar particularmente as pessoas que são atualmente jovens. Em Portugal, e em todo o mundo, o futuro dos jovens e de outros grupos etários também será moldado por outros desafios ligados à sustentabilidade, como a pandemia de COVID-19 tem mostrado. O Painel Intergovernamental para as Alterações Climáticas (IPCC, 2018) e múltiplos analistas têm vindo a destacar a necessidade de uma ‘mudança sistémica transformativa’ de modo a cumprir os objetivos do Acordo de Paris e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030. Diversas abordagens e propostas têm surgido para responder à necessidade de fomentar transformações para a sustentabilidade social, económica e ambiental, assim como de apoiar os seus agentes e impulsionadores (Linner & Wibeck, 2019). Vários estudos têm revelado que os discursos tecnocráticos têm uma posição dominante nos media e noutros espaços públicos, a par com perspetivas que se focam na mudança individual (Carvalho et al., 2018). No entanto, as transformações para a sustentabilidade são eminentemente políticas, com as questões de poder, justiça e redistribuição no seu cerne. O pluralismo político e a contestação são fundamentais para ultrapassar a condição pós-política das alterações climáticas e para re-politizar o Antropoceno, nomeadamente através da exposição e debate de visões divergentes sobre futuros sócio-ecológicos possíveis (Lövbrand et al., 2015). As recentes mobilizações sociais pelo clima demonstram claramente que os jovens estão ou querem ser envolvidos nos debates sobre as alterações climáticas e na construção de futuros climáticos. O projeto JUSTFUTURES pretende contribuir para o estudo da ag...
Informação do Projeto
2021-03-29
2024-03-28
Parceiros do Projeto
Qual foi o papel da Arquitectura durante a guerra colonial (1961-74) no suporte ao colonialismo português? Partindo da rara bibliografia existente que interpela Arquitectura, C olonialismo e Guerra (He17;He18), mas também ponderando a relação entre Violência e C olonialismo (LuMo14), a pesquisa foca-se na produção de Habitação durante as guerras de libertação na antiga África C ontinental Portuguesa, e suas repercussões no período imediato às independências das nações da Guiné-Bissau, Angola e Moçambique. O projecto prevê 2 fases: 1)análise da produção da habitação realizada nos últimos 14 anos de colonialismo, considerando a composição da sociedade colonial e os 3 agentes de Obras Públicas C oloniais (OPC ) envolvidos, abordada na perspectiva do tratamento arquivístico e documental, cartográfico e descrição historiográfica; 2)identificação e análise crítica do estado desse parque habitacional no período imediato a 1974/75 (abandono, reconfiguração e apropriação) e seu contributo na formação de fenómenos como a desigualdade no acesso e na qualidade (plástica, técnica e funcional) da casa pelas sociedades pós-independências. A investigação questiona o papel da guerra na criação de mecanismos de controle, recorrendo à arquitectura e ao urbanismo, tendo a produção de habitação como centro. Observa 3 fenómenos: a)novos bairros de expansão urbana de classe-média e económicos, edificados sobre musseques e caniços, para controle de populações; b)colonatos em áreas económicas estratégicas; c)reordenamentos rurais resultantes de deslocações massivas de camponeses africanos em territórios de guerra. Traça uma leitura contínua entre colonização e pós-independência, relacionando o direito à habitação com as diferentes infraestruturas residenciais herdadas do período colonial. Na 1ª fase o estudo considera os 3 grupos de habitantes que caracterizaram as narrativas coloniais: a)colonos europeus, b)assimilados e c)populações africanas. Analisa as paisagens urbana e rural onde essa...
Informação do Projeto
2021-03-29
2024-03-28
Parceiros do Projeto