Artigo sem avaliação científica
África subsaariana a nova reserva petrolífera e o Golfo da Guiné a rota segura para o Ocidente?
Eugénio Costa Almeida (Almeida, E. C.);
Título Revista
Cidadania e Defesa
Ano
2019
Língua
Português
País
Portugal
Mais Informação
Web of Science®

Esta publicação não está indexada na Web of Science®

Scopus

Esta publicação não está indexada na Scopus

Google Scholar

N.º de citações: 0

(Última verificação: 2022-08-09 14:18)

Ver o registo no Google Scholar

Abstract/Resumo
A crise no Golfo Pérsico e no Estreito de Ormuz, desde Junho de 2019, entre os EUA e Arábia Saudita e o Irão pode condicionar a importação de hidrocarbonetos por parte do continente europeu e norte-americano, caso ocorra um conflito armado, pelo que o Golfo do Suez pode ser encerrado às rotas marítimas, com as naturais consequências: falta de petróleo, produtos asiáticos condicionados, etc. Esta situação pode voltar a tornar África no continente de "socorro" e "Rimland" africano na principal rota marítima da Ásia para o Ocidente, via Cabo e Golfo da Guiné, tornando estes dois chock-points primordiais para a sobrevivência da Europa e do Continente Americano. The crisis in the Persian Gulf and the Strait of Hormuz since June 2019 between the US and Saudi Arabia and Iran may constrain the importation of hydrocarbons from the European and North American continent in the event of an armed conflict. Gulf of Suez can be closed to sea routes, with natural consequences: lack of oil, conditioned Asian products, etc. A situation that can again make Africa the continent of "help" and "Rimland" African on the main shipping route from Asia to the West via the Cape and Gulf of Guinea, making these two main chock-points for the survival of Europe and American continent.
Agradecimentos/Acknowledgements
--
Palavras-chave
África,Golfo da Guiné,Petróleo,Segurança,Crise no Golfo Pérsico,Estreito de Ormuz,Geoenergético
  • Geografia Económica e Social - Ciências Sociais
Registos de financiamentos
Referência de financiamento Entidade Financiadora
UID/CPO/03122/2013 Fundação para a Ciência e a Tecnologia