Outras publicações
Devem os Estados negociar com terroristas?
Título Revista/Livro/Outro
Revista Negócios Estrangeiros
Ano
2021
Língua
Português
País
Portugal
Mais Informação
Web of Science®

Esta publicação não está indexada na Web of Science®

Scopus

Esta publicação não está indexada na Scopus

Google Scholar

Esta publicação não está indexada no Google Scholar

Abstract/Resumo
De Washington a Pequim, a diplomacia é a arte da negociação conduzida entre estados a fim de promover a política externa e a resolução pacífica de conflitos. Mas, como devem decidir os estados se tiverem de negociar com grupos terroristas? Quais os prós e contras da negociação? No âmbito do tópico proposto, “ambiente internacional e evolução da diplomacia”, este artigo responde a estas questões, discutindo os custos e benefícios da negociação entre estados e terroristas, tendo como ponto de partida a evolução do quadro securitário após o fim da Guerra Fria, em 1989. As democracias, embora mais expostas, dispõem dos melhores instrumentos para combater o terrorismo: a negociação apresenta resultados ambíguos mas é fundamental para o declínio da violência.
Agradecimentos/Acknowledgements
--
Palavras-chave