Tese de Doutoramento
Dêxa puíta sócó(m)pé. Música em São Tomé e Príncipe do colonialismo para independência
Magdalena Bialoborska (Bialoborska, M.);
Ano
2020
Língua
Português
País
Portugal
Mais Informação
--
Web of Science®

Esta publicação não está indexada na Web of Science®

Scopus

Esta publicação não está indexada na Scopus

Google Scholar

Esta publicação não está indexada no Google Scholar

Abstract/Resumo
Esta tese estuda as transformações do panorama musical em São Tomé e Príncipe desde meados do século XIX, altura da recolonização das ilhas e da construção de roças de café e cacau, até à década de 1990. A apresentação da situação política, social, económica e cultural do arquipélago no período colonial e nos primeiros anos da independência serve como pano de fundo para a análise da actividade musical de vários grupos socioculturais – ilhéus, portugueses, trabalhadores contratados e seus descendentes – que habitavam o arquipélago. Uma atenção especial é dada às fronteiras, linhas que separam, visíveis e invisíveis e às suas deslocações e alterações naquele período. A sua dinâmica, resultante da situação local e internacional, reflectiu-se na sociedade e, consequentemente, na música dos habitantes do arquipélago. A construção do corpus de estudo, através da recolha de gravações de música, da revisão da imprensa, da consulta de materiais arquivísticos escritos e visuais, e também da realização de entrevistas, foi o ponto de partida para a descrição e a análise da música criada e recriada nas ilhas. A contextualização proposta evidencia que o panorama musical de um determinado território é dinâmico e reflecte a sua situação política e social, mas não depende só dela. Embora dependendo de circunstâncias várias, a música tem a capacidade de mobilizar para mudanças sociopolíticas.
Agradecimentos/Acknowledgements
São Tomé e Príncipe, música, colonialismo, pós-independência, fronteiras sociais, géneros musicais
Palavras-chave
Registos de financiamentos
Referência de financiamento Entidade Financiadora
SFRH/BD/116953/2016 FUNDAÇÃO PARA A CIÊNCIA E TECNOLOGIA (FCT)