Artigo em revista científica Q4
Marcelo Caetano e a origem do exercício ALCORA
Luís Barroso (Barroso, L.);
Título Revista
Cadernos de Estudos Africanos
Ano
2018
Língua
Português
País
Portugal
Mais Informação
Web of Science®

Esta publicação não está indexada na Web of Science®

Scopus

N.º de citações: 1

(Última verificação: 2022-08-11 16:47)

Ver o registo na Scopus


: 3.0
Google Scholar

Esta publicação não está indexada no Google Scholar

Abstract/Resumo
O objetivo deste texto é determinar as razões que levaram a África do Sul a ansiar por apressar a formalização do Exercício ALCORA em outubro de 1970, depois de apresentarem o plano de defesa para a África Austral em março desse ano. Não obstante as dinâmicas globais da Guerra Fria, consideramos que o Exercício ALCORA resultou da desconfiança sul-africana na capacidade de Portugal conseguir derrotar os movimentos de libertação em Angola e Moçambique. O nosso argumento considera o ano de 1968-69 como charneira entre os relacionamentos informais e a necessidade de um relacionamento formal, que permitisse a Pretória o controlo da estratégia global para a África Austral, dado o valor estratégico que Angola e Moçambique tinham para Pretória. Embora inicialmente focalizado na dimensão militar, é de admitir também que o Exercício ALCORA pudesse ser um primeiro passo para uma maior integração política na África Austral, envolvendo as dimensões económicas, sociais e políticas. Atendendo que o Exercício ALCORA se focava na contrainsurgência, um acordo militar foi um passo lógico, apesar dos problemas decorrentes das políticas raciais.
Agradecimentos/Acknowledgements
--
Palavras-chave
Angola,ALCORA,Marcelo Caetano,África do Sul,Moçambique
  • Outras Ciências Sociais - Ciências Sociais
  • Outras Humanidades - Humanidades
Registos de financiamentos
Referência de financiamento Entidade Financiadora
UID/CPO/03122/2013 Fundação para a Ciência e a Tecnologia