Artigo em revista científica
Modelos de remuneração e rendibilidade nas empresas familiares portuguesas
Ivo Pereira (Pereira, I.); José Esperança (Esperança, J. P.);
Título Revista
Revista Portuguesa e Brasileira de Gestão
Ano (publicação definitiva)
2009
Língua
Português
País
Portugal
Mais Informação
Web of Science®

Esta publicação não está indexada na Web of Science®

Scopus

Esta publicação não está indexada na Scopus

Google Scholar

N.º de citações: 6

(Última verificação: 2024-02-27 14:33)

Ver o registo no Google Scholar

Abstract/Resumo
A remuneração variável é habitualmente justificada pelo seu efeito de alinhamento dos interesses dos gestores e dos accionistas. Nas empresas de capitais dispersos, em particular, a resolução de problemas de agência passaria pela introdução de um modelo de remuneração variável, incluindo stock options. Este aspecto é ainda ignorado, no âmbito das empresas em que os proprietários também exercem a gestão. Não só é exíguo o estudo empírico deste fenómeno, como a própria fundamentação teórica tem vindo a sofrer desenvolvimentos profundos, com a inclusão dos problemas de agência específicos das empresas familiares. Este estudo baseia-se na análise comparativa de 102 das maiores empresas portuguesas e confirma a maior propensão para a remuneração variável por parte das empresas de capitais dispersos, e que só as empresas familiares mais antigas beneficiam com a adopção de modelos de remuneração variável.
Agradecimentos/Acknowledgements
--
Palavras-chave
Teoria da agência,Altruísmo,Empresas familiares,Modelos de remuneração
Registos de financiamentos
Referência de financiamento Entidade Financiadora
PTDC/GES/72859/2006 Fundação para a Ciência e a Tecnologia