Capítulo de livro
O Lugar das Línguas Imigrantes Não Europeias na Sociologia das Migrações Internacionais
Ana Raquel Matias (Matias, A.R.);
Título Livro
Migrações Internacionais e Políticas Públicas Portuguesas
Ano
2017
Língua
Português
País
Portugal
Mais Informação
--
Abstract/Resumo
É objetivo geral deste capítulo tentar desconstruir a relação de contrários intrínseca na visibilidade da diversidade linguística das populações de origem imigrante. E, nesse processo de desconstrução, procurei aqui demonstrar que falamos de uma relação de contrários que reflete antes uma (in)visibilidade dessa mesma realidade. Por um lado, temos a necessidade de as populações de origem imigrante adquirirem a língua dominante do país de residência; por outro lado, não poderemos esquecer a importância da(s) língua(s) materna(s)/língua(s) primeira(s), e a dois níveis: nos processos de aprendizagem de novas línguas e na comunicação das sociedades contemporâneas globalizadas. A gestão desta polarização tem dominado a forma como as políticas de integração linguística são discutidas, concebidas, articuladas e avaliadas. Estas políticas têm estado frequentemente associadas a agendas de regulação de entrada, permanência e saída de estrangeiros e de acesso à nacionalidade, caracterizando-se, ainda, por uma ausência de consonância entre os objetivos das políticas de imigração e os tempos requeridos na aprendizagem e aquisição de línguas. Revelam, deste modo, poucas preocupações linguísticas e sociolinguísticas que os fenómenos migratórios levantam — mesmo se estas têm sido extensivamente identificadas por um vasto número de trabalhos especializados.
Agradecimentos/Acknowledgements
--
Palavras-chave
Interdisciplinariedade,Diversidade Linguística,Política de Língua,Minorização Linguística,(In)visibilidades Sociais