Artigo em revista científica
O optimismo comparativo face à saúde: da infância à adolescência
Sónia F. Bernardes (Bernardes, S. F.); Maria Lima (Lima, M. L.); Paula Paulino (Paulino, P.);
Título Revista
Psychologica
Ano
2005
Língua
Português
País
Portugal
Mais Informação
Abstract/Resumo
O Optimismo Comparativo (OC) - tendência da maioria das pessoas para ver o seu futuro como mais positivo que o dos outros - tem sido pouco estudado na infância e adolescência. Este estudo teve como objectivos: 1) ldentificar a presença de OC face a saúde em crianças e adolescentes: 2) Analisar as diferenças etárias no OC; 3) Explorar diferenças etárias nos julgamentos de risco face ao próprio e a um alvo de comparação, e como estes contribuem para o entendimento das possíveis diferenças etárias no OC. Participaram no estudo 65 crianças, 91 pré-adolescentes e 97 adolescentes saudáveis. Efectuaram julgamentos de risco (próprio vs. alvo) para 8 riscos face a saúde. O OC mostrou-se mais intenso e prevalente a partir da pre-adolescência. Comparativamente com as cirnaças, os pré-adolescentes perceberam-se como pessoalmente mais invulneráveis aos riscos. enquanto os adoles­centes atribuíram maior risco de contracção de doenças ao alvo de comparação.
Agradecimentos/Acknowledgements
--
Palavras-chave
Optimismo comparativo,Infância,Adolescência,Julgamentos de risco

Com o objetivo de aumentar a investigação direcionada para o cumprimento dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável para 2030 das Nações Unidas, é disponibilizada no Ciência-IUL a possibilidade de associação, quando aplicável, dos artigos científicos aos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável. Estes são os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável identificados pelo(s) autor(es) para esta publicação. Para uma informação detalhada dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, clique aqui.