Capítulo de livro
Produção cultural e engajamento político na Afro-Lisboa
Otávio Raposo (Raposo, O.); Carlos Garrido Castellano (Castellano, C. G.);
Título Livro
Modalidades e trajetórias de participação política no Brasil e em Portugal
Ano
2018
Língua
Português
País
Brasil
Mais Informação
--
Abstract/Resumo
O objetivo deste capítulo será debater a arte urbana e as configurações identitárias pós-coloniais em Portugal, centrando-se em algumas produções artísticas e culturais que incorporam nos seus “modos de fazer” (Certeau, 1980) elementos políticos, naquilo que alguns autores consideram ser um processo de politização da arte e cultura (Sant’anna et al., 2017; Raposo, 2015; Wright, 1998). Centraremos nosso olhar em dois bairros “periféricos” da Região Metropolitana de Lisboa –Cova da Moura e Quinta do Mocho –marcados pela presença de populações de origem africana. Examinaremos em ambos os espaços como a criatividade urbana desafia a compreensão simplese pouco problematizada da relação do país com o seu passado colonial, ganhando terreno expressões artístico-culturais que também funcionam como atos de resistência. Associados à violência e à marginalidade no imaginário português, os dois bairros racializados são hoje em dia contextos ativos de produção cultural, particularmente férteis no que concerne à música e à arte urbana. Atualmente, estão integrados nos circuitos artísticos de Lisboa, cidade que se tornou um dos principais referenciais culturais e turísticos internacionais. Analisar as contradições trazidas por esse processo, bem como os engajamentos políticos de certos artistas e agentes culturais constituem a preocupação central deste ensaio.
Agradecimentos/Acknowledgements
--
Palavras-chave
Portugal,Produção cultural,Engajamento político,Racismo,Periferia,Arte urbana,Participação,Pós-colonialismo
Registos de financiamentos
Referência de financiamento Entidade Financiadora
UID/SOC/03126/2013 Fundação para a Ciência e a Tecnologia