Comunicação em evento científico
Que escolhas de (in)visibilidade da diversidade linguística na sociologia das migrações internacionais?,
Ana Raquel Matias (Matias, A.R.);
Título Evento
SIMPÓSIO Internacional EDiSo “Vozes, silêncios e silenciamentos nos estudos do discurso” - (Des)Encontros linguísticos: que invisibilidades e silenciamentos entre as populações negras na Europa?
Ano
2019
Língua
Português
País
Espanha
Mais Informação
Abstract/Resumo
sua efectiva composição sociolinguística (Gogolin, 2005), e que apenas no final dos anos 1990 essa diversidade surge implicada nas políticas públicas (Extra e Yağmur, 2002, 2012). Sabemos ainda que essas políticas têm vindo a ser caracterizadas por uma distinção entre necessidades de políticas linguísticas globais e aquelas das populações de origem imigrante não europeia (Söhn, 2005), sob uma argumentação de que as populações são portadoras uma diversidade provisória face a uma assimilação linguística esperada por referência às normais oficiais, sendo diversidade tolerada enquanto questão cultural vazia de implicações político-identitárias determinantes (Extra e Gorter, 2001; Gogolin, 2002; Joppkes e Morawska, 2002). Consequentemente, a falta de (re)conhecimento da diversidade linguística existente tem contribuído para a menorização social de várias franjas da população, preconizando um silêncio ensurdecedor sobre a sua efetiva realidade linguístico-social. Nesta comunicação interessa-nos compreender tais impactos disruptivos particularmente ao nível das populações com origem em países africanos anteriormente ocupados por países europeus. Falamos, assim, de uma diversidade linguística observável no espaço europeu resultante do peso demográfico de fenómenos migratórios marcados por processos coloniais e pós coloniais portadores de um legado histórico já antigo. Esta apresentação procurá discutir o lugar desta realidade sociolinguística nos estudos da sociologia das migrações internacionais, e a três níveis: na compreensão destes fenómenos migratórios já históricos enquanto processos de mudança social com consequências linguístico-sociais, e cujo conhecimento implica cruzamentos interdisciplinares para lá da sociologia; no entendimento de que os processos de teorização e categorização dos sujeitos e dinâmicas em estudo são também processos sociais que implicam reproduções, resistências ou transformações; e, consequentemente, na necessidade de instrumentos de auto-reflexividade por parte dos investigadores enquanto sujeitos categorizadores das mudanças linguístico-sociais observáveis ou invisibilizadas.
Agradecimentos/Acknowledgements
FCT/MCTES
Palavras-chave
Categorizações sociológicas,Cultura linguística,Interdisciplinaridade,Migrações pós-coloniais.