Ciência-IUL    Autores    Ana Cristina Ribeiro dos Santos da Silva Ferreira    Projetos de Investigação
Projetos de Investigação
Experiências e expetativas de regresso dos novos emigrantes portugueses: reintegração e mobilidades
Portugal registou, a partir de 2005, uma intensificação da emigração que produziu importantes impactos demográficos, sociais e económicos no país. Com a suavização da crise, o retorno ao crescimento e as novas crises na Europa (Brexit, movimentos anti-imigração em vários países da Europa, etc.), existe a expectativa de um aumento dos movimentos de regressos a Portugal. Estes regressos poderão contribuir para o desenvolvimento demográfico e económico do país, devido aos investimentos que poderão ser feitos e, também, à transferência de conhecimento acumulado durante o processo de residência no estrangeiro (brain gain). Neste estudo pretende-se estudar o regresso de emigrantes portugueses, com enfoque em países de destino dos maiores fluxos de entrada nos últimos anos, como o Reino Unido, França e Luxemburgo, de forma a poder atender às diferenças contextuais no processo de tomada de decisão e de efetiva experiência de regresso. Complementando o projeto REMIGR [2014- 2016], o estudo incidirá sobre as expetativas e as experiências de retorno dos migrantes, o papel da integração na sociedade de destino para a decisão/predisposição de regresso, o desenvolvimento de diferentes formas de mobilidade entre países de origem e de destino e o potencial dos migrantes (regressados efetivos ou potenciais) para a promoção do desenvolvimento regional das áreas de origem dos migrantes, temáticas que têm recebido pouca atenção na análise da emigração portuguesa, apesar da emigração ter sido sempre acompanhada por alguns fluxos de regresso. Em termos gerais o projeto estuda emigrantes portugueses e emigrantes regressados, independentemente do nível de habilitações, procurando responder às seguintes questões: a) Que fatores influenciam as intenções e as decisões de regresso dos migrantes? b) De que forma as crescentes formas de circulação permitem ir concretizando e/ou adiando os projetos de regresso e contribuem para sustentar o desenvolvimento de práticas transnacionais entre o país d...
Informação do Projeto
2018-10-01
2022-03-31
Parceiros do Projeto
Evolução e Perfis dos Divórcios em Casais Binacionais em Portugal (1988-2013)
Este projeto visa analisar a evolução e os padrões de divórcio em casais binacionais em Portugal entre 1995 e 2013. Embora existam alguns estudos sobre o divórcio entre 1980 e 1990, principalmente de natureza qualitativa, este assunto não mereceu muita atenção do Português sociologia. Na origem do interesse em divórcios entre casais binacionais (também conhecido como exogâmico ou misturado por alguns autores) é o fato de que as comunidades de imigrantes em Portugal aumentaram consideravelmente, especialmente a partir da década de 1990 (Ferreira e Ramos 2008, Gaspar 2010, Ramos et al. 2015), o que contribuiu para um aumento notável nos casamentos entre indivíduos de diferentes origens nacionais. De fato, os casamentos binacionais mudaram as estruturas e dinâmicas familiares e conjugais portuguesas, representando, tanto para a academia como para o público, um tema central a ser analisado e compreendido. Este estudo incidirá em divórcios de casais envolvendo portugueses e nacionais de outros países (possivelmente serão operacionalizados considerando apenas casamentos entre portugueses e nacionais de algumas das comunidades de imigrantes mais representadas em Portugal).  A maior parte da informação estatística da pesquisa será obtida junto das instituições nacionais oficiais (INE), a saber, o microdado de divórcios (de 1995 a 2013) e do Censo Geral de População (Censos 2001 e 2011). O estudo desses dados nos permitirá analisar não só a estrutura sociodemográfica dos portugueses e estrangeiros divorciados em 2001 e 2011 (Censos), mas também a evolução dos casais divorciados durante o período em análise. Assim, será possível obter a evolução das principais tendências e padrões de divórcios em casais binacionais e identificar as características dos atores sociais (nacionais e estrangeiros) que fazem parte desse processo. Paralelamente, e para contextualizar a análise, os padrões de divórcio entre casais nacionais em que ambos os cônjuges são portugueses (aqui denominados "...
Informação do Projeto
2014-06-01
2015-06-30
Parceiros do Projeto
Evolução e Padrões de Casamentos Binacionais em Portugal (1988-2011)
Este projeto tem como objetivo descrever, analisar e interpretar uma área que tem merecido um tratamento deficitário em Portugal, isto é, o desenvolvimento dos casamentos binacionais desde 1988 a 2011. Os dados serão recolhidos de instituições oficiais portuguesas, particularmente os micro-dados dos casamentos do Instituto Nacional de Estatística (INE). O estudo destas bases de dados permitirá a análise de certos indicadores demográficos, como sejam o ano do casamento, a cidade de residência, o local de nascimento, nacionalidade, filhos comuns prévios ao casamento, idade dos conjugues, estado civil prévio ao casamento, situação na profissão e nível educacional. Além de permitir a constituição de um considerável acervo de informação quantitativa, o tratamento e análise destes dados permitirá também criar um desenho metodológico longitudinal das principais tendências e padrões dos casamentos binacionais em Portugal, bem como compreender quem são os atores sociais (conjugues portugueses e estrangeiros) envolvidos nestas uniões mistas.
Informação do Projeto
2013-04-01
2014-09-30
Parceiros do Projeto
Residential Trajectories and Metropolization: continuities and changes in Lisbon Metropolitan Area
O objetivo geral do projeto é o estudo das trajetórias residenciais dos habitantes da Área Metropolitana de Lisboa (LMA), nascidos entre 1935-1985. No entanto, dada a necessidade de aprofundar o conhecimento sobre as mudanças em curso que poderiam constituir a base de uma reestruturação da lógica da metrópole contemporânea, a prioridade foi a análise das gerações mais jovens: as nascidas entre 1965-1985 e cuja entrada na idade adulta e a autonomia residencial provavelmente já ocorrereu após a adesão à UE, o período de emergência dos principais indicadores da modernidade.
Informação do Projeto
2010-03-01
2013-02-28
Parceiros do Projeto