Ciência-IUL    Autores    Goffredo Adinolfi    Projetos de Investigação
Projetos de Investigação
Democracias representativas liberais e regimes autoritários na Europa do Sul
Tal como evidencia a Freedom House após uma fase de expansão após a terceira vaga de democratizações, na ultima década regista-se uma involução. Este è o ponto de inicio em volta do qual os estudos pretendem-se focalizar. Apesar de tudo não é a primeira vez que a democracia entra em crise e/ou até em colapso, tal como aconteceu após a primeira guerra mundial. Não há dúvida que o populismo se tornou na Europa, sobretudo depois da crise económica de 2008, no maior desafio à democracia tal como o fascismo foi após a primeira guerra. Não existe processo eleitoral que não represente um efetivo risco para a estabilidade dos sistemas políticos: Grã-Bretanha, referendo sobre a saída da União Europeia, França com o risco concreto de uma vitória do partido de extrema direita Front National e, obviamente, Itália com o Movimento 5 Estrelas a guiar de forma mais ou menos estável as sondagens. Nadia Urbinati (2014) e Ernesto Laclau (2005), de uma forma oposta, mas congruente conseguiram dar a este termo um cariz universal em que a primeira dicotomia diz respeito à clivagem entre democracia liberal representativa, ou seja, uma democracia baseada na tripartição dos poderes e exercida por representantes, e o populismo baseado na ideia de uma democracia exercida de uma forma mais direta. Esta crise nas instâncias de agregação e associação dos indivíduos por parte da política tradicional – elemento comum, ainda que com diferentes matizes, que se encontra independentemente das áreas - cria, contudo, um impasse às formas de governo democráticas. Perante esse desafio, o populismo, conceito central à análise aqui elaborada, é atualmente considerado tanto como um obstáculo, quanto como uma tábua de salvação para a democracia em tempos de crise.
Informação do Projeto
2018-11-01
2024-10-31
Parceiros do Projeto
Crise, Representação Política e Renovação da Democracia: caso Português no Contexto do Sul da Europa
Antes da crise económica e financeira internacional de 2008 e do seu impacto na Europa, nomeadamente a crise de dívidas soberanas e as políticas de austeridade que se seguiram, os eruditos que estudam as democracias europeias da Europa do Sul concentraram-se nas respetivas consolidações democráticas ou na qualidade da democracia (ver Morlino, 1998, e Gunther, Diamandouros e Phule, 1995). Contudo, as democracias europeias do Sul têm vivido profundas modificações desde a emergência da crise económica e financeira de 2008. Como Matthijs (2014) indica, ‘é ampla a evidência de que a força da democracia liberal na Europa do Sul diminuiu desde 2010, observando-se um enfraquecimento dos direitos civis e políticos, do estado de direito e do funcionamento dos governos’. Claramente que existem mudanças significativas no funcionamento das democracias contemporâneas, especialmente naquelas que tem sofrido políticas de austeridade dolorosas e que perduram. O objetivo deste projeto é examinar estas modificações analisando o caso de Portugal, um dos países da Europa do Sul mais severamente afetado pela crise, tanto numa perspetiva longitudinal como comparativa. É claro que existem respostas diferentes a estes desafios externos e trajetórias distintas de adaptação. Pode considerar-se o caso português como um bom exemplo de um dos problemas mais importantes que as democracias contemporâneas têm de enfrentar, como a perda de confiança dos cidadãos em relação à capacidade das instituições democráticas – particularmente legislaturas, partidos e elites políticas – para resolver problemas e atingir metas coletivas.
Informação do Projeto
2016-04-15
2019-04-14
Parceiros do Projeto
The Discreet Charm of the Direct Democracy: Southern Europe and the representation crisis
Informação do Projeto
2015-01-01
2018-12-31
Parceiros do Projeto
Eleições, liderança e responsabilização: a representação política em Portugal, uma perspectiva longitudinal e comparativa
Informação do Projeto
2012-03-01
2015-02-28
Parceiros do Projeto
Promessas Partidárias e Responsabilidade Democrática: O caso português numa perspectiva comparativa
Informação do Projeto
2011-03-01
2014-08-31
Parceiros do Projeto
Sistemas Políticos e Elites nas Transições
O estudo dos Sistemas Políticos na Europa do último século são o fulcro principal do trabalho de investigação do candidato. Emergência, evolução, crise e transição são fases que as Nações europeias têm vivido ciclicamente de uma forma mais ou menos violenta e podem-se remeter para, pelos menos, três diferentes grandes famílias políticas: liberalismo, autoritarismo/totalitarismo e democracia. As questões à volta das quais mais se formou a especialização do candidato e se delinearam os seus horizontes de estudo são, portanto, em relação com estas perguntas, que orientaram a pesquisa nos últimos anos: porque os regimes são por sua natureza instáveis? Existem indicadores que possam realçar o estado de “bem-estar” ou, pelo, contrário, a iminente crise de um regime? Quais são as diferenças entre crise “no” Sistema Político e crise “do” Sistema Político? Na mudança dos Sistemas Políticos, como mudam as elites?  
Informação do Projeto
2008-01-01
2015-12-31
Parceiros do Projeto
Os Deputados Portugueses em Perspectiva Comparada: Eleições, Liderança e Processos de Representação
Este projecto pretende precisamente estudar o processo de representação política no parlamento português através das seguintes vertentes. Primeiro, actualizando as bases de dados existentes sobre as características biográficas dos deputados portugueses. Segundo, actualizar e aprofundar a questão do papel dos partidos no processo de recrutamento parlamentar. Terceiro, recorrendo a três inquéritos (um aos candidatos a deputados nas eleições legislativas de 2005; um aos deputados presentes na actual legislatura, 2005-2009; um a uma amostra representativa da população portuguesa) comparar os valores e orientações (perante a divisão esquerda-direita, em geral, e face às políticas públicas, em particular) dos candidatos (e dos deputados) perante as mesmas orientações dos eleitores (em geral, e de cada partido, em particular). Pretende-se assim estudar o processo de representação política através de uma análise comparativa de atitudes das elites políticas e dos eleitores, nunca antes prosseguida até hoje em Portugal. Quarto, uma das vertentes mais inovadoras deste projecto é a sua inserção internacional em duas redes de pesquisa: o Candidate Survey (http://www.mzes.uni-mannheim.de/projekte/gcs/homepage_e.html), inquérito aos candidatos, sediado na Universidade de Mannheim, e o PARENEL / Parliamentary Representation at National and European Levels (www.cervl.sciencespobordeaux.fr/Parenel.htm), sediado no Institut d’Etudes Politiques de Bordeaux. Através destes inquéritos pretende-se estudar de forma comparativa as características, atitudes e comportamentos das elites parlamentares, bem como as relações entre os candidatos, os deputados e as características institucionais dos parlamentos; mais, recorrendo a dados secundários, podemos comparar as orientações das elites e dos eleitores nos diferentes países. Ou seja, poderemos estudar comparativamente a função de representação política. Quinto, pretende-se estudar o papel da sociedade civil no processo legislativo através de u...
Informação do Projeto
2007-10-01
2010-12-31
Parceiros do Projeto