STUDENTCITY
Etnografia das migrações estudantis em Portugal
Descrição

O presente projeto visa compreender as migrações estudantis em contexto urbano na cidade de Lisboa e noutras quatro cidades Portuguesas (Porto, Coimbra, Évora e Covilhã). A literatura mostra como a presença dos estudantes internacionais, os seus estilos de vida, os seus padrões de consumo e as suas modalidades de socialização estimulam processos de mudança urbana. Neste projeto estudarei esses impactos numa dupla direção: dum lado os impactos dos estudantes sobre a cidade (studentification, produção e consumo urbanos, reprodução dos imaginários locais), doutro lado, o impacto das experiências vividas na cidade sobre as subjetividades dos estudantes (transição para a vida adulta, continuidade das suas carreiras transnacionais, formação das suas identidades individuais e coletivas). Para atingir os objetivos serão usadas metodologias principalmente qualitativas, com especial destaque para a etnografia junto dos grupos de estudantes, mas também alguns instrumentos de tipo quantitativo, como o lançamento dum inquérito às populações estudantis em cada cidade. 

Desafio

Na última década (especialmente nos últimos 5 anos) Lisboa se transformou num centro cultural e económico orientado à provisão de conhecimento, lazer e serviços com o objetivo de atrair jovens estudantes nacionais e internacionais, assim como outros visitantes na procura de lazer (como turistas e migrantes de estilo de vida). Neste sentido, a transformação de Lisboa estimulou não só mudanças sócio-espaciais (renovação e reabilitação urbanas, turismo de massa, gentrificação) mas também a chegada e consolidação de novos estilos de vida juvenis e modelos globais de consumo urbano. Este processo começa a reproduzir-se também noutras cidades Portuguesas. O presente projeto pretende analisar as complexas relações mutuas estabelecidas entre os migrantes estudantis e as transformações sócio-espaciais nessas cidades em termos dos seus impactos mútuos: os estudantes estimulam a economia local e provocam mudanças urbanas, mas paralelamente essas experiências urbanas constroem as biografias dos estudantes fornecendo experiências vitais duradouras. Neste sentido, os estudantes internacionais são jovens a viver num processo de transição para a vida adulta no estrangeiro, o que implica uma experiência subjetiva cheia de significados e emotividade, o que poderá influir no seu comportamento migratório e laboral ulterior. A presente pesquisa reconhece aos migrantes estudantis como agentes sociais que participam simultaneamente da economia do conhecimento (como estudantes), da economia do lazer (como jovens) e da economia da viajem (como migrantes), representando assim atores fulcrais para compreender a produção e o consumo no capitalismo urbano na era do conhecimento e da mobilidade. O projeto pretende, ainda, explorar a relação existente entre viajem de estudos e turismo, entre migração estudantil e mobilidades relacionadas com o lazer, ao nível dos consumos e dos imaginários. O principal instrumento metodológico será a pesquisa de terreno etnográfica entre diferentes grupos de estudantes para compreender a diversidade individual e coletiva dos seus perfis. Em resumo, o núcleo do projeto enfatiza a relação mutua entre os estudantes e a cidade, que tem lugar pelos estilos de vida que eles produzem e pelas experiências urbanas que eles consumem.

Abordagem

A abordagem destes objetivos conta com uma metodologia multi-disciplinar baseada em quatro visões teóricas 

1) Visão sociológica (população, instituições e governação): Trata-se duma aproximação crítica baseada na análise dos discursos e no funcionamento real das instituições envolvidas nas vidas dos estudantes. Analisaremos o papel das instituições de educação superior na expansão do sector da internacionalização educativa ao nível global e lançaremos um inquérito  para compreender a diversidade e a fragmentação da população de estudantes internacionais.

2) Visão etnográfica (práticas, lugares e comunidades): A etnografia constitui-se como o centro do projeto, fornecendo una aproximação indutiva e qualitativa para a exploração dos mundos sociais dos estudantes, com um uso extensivo do trabalho sobre o terreno, da observação participante e do método comparativo. A observação e recolha de informação entre diferentes comunidades de estudantes representa o corpus do projeto. 

3) Visão antropológica (significados, discursos e identidades): Diferentes tradições dentro da antropologia nos permitem pensar nas complexas relações entre estilos de vida, modelos de consumo, globalização e transições para a vida adulta que estão a atravessar os estudantes internacionais. Os seus discursos e narrativas vão ser recolhidos e analisados mediante entrevistas em profundidade, conversações informais e grupos focais.

4) Visão geográfica (mobilidades, transnacionalidade, globalização): Os estudantes internacionais devem ser entendidos como populações em mobilidade, apresentando pontos de contacto quer com o turismo quer com a migração estudantil. Desde o ponto de vista da geografia estudaremos os fluxos global destas mobilidades, as comunidades migratórias onde se inserem nas cidades de acolhimento e a espacialização das suas vidas no estrangeiro.

Impacto Investigação Académica

Estes são os resultados esperados, divididos em cuatro blocos, representando diferentes aproximações e o conhecimento adquirido sobre os estudantes internacionais nas cidades Portuguesas:

1) Diversidade, mobilidade e background dos estudantes internacionais : As migrações estudantis são muito diversas e complexas, por isso se faz necessário um conhecimento prévio da sua composição em cada cidade estudada. Uma primeira diferenciação operativa será feita entre: 1) Estudantes procedentes de territórios de língua oficial Portuguesa; 2) Estudantes intra-Europeus procedentes do Espaço Europeu de Educação Superior; 3) Estudantes procedentes de países “emergentes” ou de economias centrais com pouca presencia até o momento em Portugal (como os EUA ou a China). Os potenciais problemas dos estudantes como migrantes serão analisados ao nível técnico (visas, propinas, alojamento) e também na sua integração social (estereótipos, discriminação, isolamento). Serão exploradas as conexões entre os estudantes e as redes migratórias existentes na cidade de acolhimento, assim como os padrões de organização de grupos de amizade baseados no mesmo país de origem ou língua falada.

2) Exploração das práticas, experiências e estilos de vida estudantis: Os migrantes estudantis são alvo de muitas organizações e negócios que tentam aproveitar a sua presencia nos contextos de chegada. No entanto, os estudantes não são clientes passivos das campanhas de publicidade centradas no lazer, senão agentes ativos na construção dos seus próprios mundos sociais no estrangeiro. Este objetivo pretende explorar a significativa variedade que podemos encontrar nos estilos de vida e nas culturas estudantis que emergem nas cidades além dos intentos de comercialização dalgumas organizações e empresas. Serão analisados também outros atores sociais implicados nos estilos de vida e nos hábitos de consumo dos estudantes: associações estudantis, empresas de lazer noturno e outros atores que tentam atrair aos estudantes para o consumo (especialmente na noite) de produtos, espaços e estilos de vida.

3) Avaliando o impacto urbano, as transformações e a studentification : A presencia dos estudantes internacionais proporciona oportunidades de negócio tanto para atores económicos de grande escala (investidores, mediadores) como para pequenos proprietários de habitação. A presencia dos estudantes contribui assim para a transformação de algumas áreas urbanas, o que reflete o fenómeno estudado pela literatura da studentification. Para avaliar o impacto dos estudantes na cidade de acolhimento, serão feitas aproximações ao nível de bairro, contactando com os diferentes atores sociais envolvidos na provisão de alojamentos, mas também tentando compreender as relações estabelecidas entre população local, estudantes internacionais e residentes não-estudantis. O objetivo é alargar a nossa compreensão da studentification em cidades muito diferentes, assim como identificar as diferentes tipologias de habitação e georeferenciar os espaços residenciais mais  emblemáticos em cada cidade.

4) O futuro dos estudantes internacionais: talento, trabalho e mobilidade: Além dos discursos sobre a atração de talento e da incorporação dos pós-graduados estrangeiros nas redes nacionais da inovação científica e da criatividade, a realidade é que entre os estudantes internacionais encontramos trajetórias muito diversificadas. Este objetivo pretende compreender as motivações pessoais, os contextos emocionais, os projetos biográficos e as condições do mercado de trabalho que condicionam alguns estudantes a ficar nas cidades Portuguesas, e a outros a seguir os seus percursos migratórios depois da sua estadia. Tratar-seá de localizar aqueles que ficam nos variados contextos e circunstancias onde os podemos encontrar: a continuar os seus estudos, trabalhando em precário, começando um negócio próprio, no âmbito do consumo cultural e do lazer como consumidores. Aliás, se analisaram as suas trajetórias migratórias em conexão com as lógicas globais de desenvolvimento das economias urbanas baseadas no conhecimento.

Impacto Social e Económico

A contribuição principal deste projecto para a sociedade em geral será a identificação de modelos de mudança social, económica e espacial nos espaços urbanos Portugueses causados pela interacção entre migrantes estudantis e territórios visitados, o que se corresponde com a tradição investigadora e científica no CIES-IUL. Neste sentido, o estudo de grupos sociais em mobilidade tais como os migrantes estudantis, e o seu impacto sobre a sustentabilidade, o desenvolvimento e as desigualdades dos territórios será central neste projecto. Considero que os territórios urbanos são espaços onde os conhecimentos e as relações dos estudantes são transformados em desenvolvimento científico, criatividade e start-ups, mas também em organizações feministas, cooperativas de alimentos e outros movimentos sociais de base que aparecem para enfrentar as desigualdades. Este projecto alinha-se com uma das grandes questões colocadas no desenvolvimento das cidades contemporâneas: como perceber e lidar com as mudanças urbanas provocadas pela transformação das cidades em centros de consumo e de lazer, especialmente para os jovens de classes médias. 

Parceiros Internos
Centro de Investigação Grupo de Investigação Papel no Projeto Data de Início Data de Fim
CIES-IUL -- Parceiro 2018-11-01 2024-10-31
Parceiros Externos

Não foram encontrados registos.

Equipa de Projeto
Nome Afiliação Papel no Projeto Data de Início Data de Fim
Daniel Malet Calvo CIES-IUL [Desigualdades, Migrações e Territórios] Coordenador Global 2018-11-01 2024-10-31
Financiamentos do Projeto
Código/Referência Tipo de Financiamento Entidade Financiadora Programa de Financiamento País Valor Financiado (Global) Valor Financiado (Local) Data de Início Data de Fim
NA Contrato FCT Norma Transitória DL57/2016-Lei57/2017 Portugal Nível 33 TRU Nível 33 TRU 2018-11-01 2024-10-31
Outputs (Publicações)

Não foram encontrados registos.

Outputs (Outros)

Não foram encontrados registos.

Ficheiros do projeto

Não foram encontrados registos.

Com o objetivo de aumentar a investigação direcionada para o cumprimento dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável para 2030 das Nações Unidas, é disponibilizada no Ciência-IUL a possibilidade de associação, quando aplicável, dos projetos científicos aos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável. Estes são os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável identificados para este projeto. Para uma informação detalhada dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, clique aqui.

Etnografia das migrações estudantis em Portugal
2018-11-01
2024-10-31