Comunicação em evento científico
Políticas públicas para o interior e as novas paisagens rurais
Maria Antónia Pires de Almeida (Almeida, Maria Antónia);
Título Evento
Encontro com a Ciência e Tecnologia em Portugal
Ano
2020
Língua
Português
País
Portugal
Mais Informação
Abstract/Resumo
Fruto de um movimento demográfico em direção às cidades do litoral e ao estrangeiro iniciado com maior intensidade nos anos sessenta do século XX, o despovoamento rural tomou conta da paisagem do interior de Portugal, dando origem a fenómenos com consequências gravíssimas para a população que ainda resiste a viver longe dos grandes centros e que se encontra desligada da atividade agrícola. Nos territórios do interior, o contexto da globalização e da Revolução Verde introduziu um novo tipo de agricultura em Portugal baseada na concentração fundiária em muito maior escala que o tradicional latifúndio, onde se aplica a monocultura intensiva ou superintensiva, especialmente de olival e frutos vermelhos, com utilização excessiva de mecanização e químicos, baseada em mão de obra precária, sazonal e, na maior parte dos casos, estrangeira com situação irregular no país, e que esgota a água de barragens que durante décadas alimentaram regadios perfeitamente sustentáveis. Esta situação é incompatível com os programas de coesão territorial apresentados pelo governo, com os planos de atração dos municípios (Almeida, 2017, Almeida, 2018) e com a legislação construída nas últimas décadas de regime democrático. Ultrapassados os argumentos da autossuficiência alimentar, com a Política Agrícola Comum e especialmente na última década Portugal assumiu um papel de produtor de commodities, enquadrando-se na tendência do neoextravitismo praticado nos países da América do Sul e da África (Svampa, 2019, Aráoz, 2013). Apresentam-se alguns exemplos desta realidade que domina a nova paisagem do Alentejo, uma região a saque por parte de grupos económicos das indústrias agroalimentares, com implicações na sua sustentabilidade (Clapp & Fuchs, 2009). Atualmente, com anos de seca repetidos, a gestão da água tornou-se um dos principais problemas do planeta, e as questões ambientais e da qualidade de vida das populações deveriam estar na linha da frente das preocupações políticas. Temos assim um dilema de sustentabilidade social e ambiental que urge debater.
Agradecimentos/Acknowledgements
--
Palavras-chave
paisagem,água,interior,territórios,rural,sustentabilidade,poder local,política
  • Ciências Políticas - Ciências Sociais
  • Geografia Económica e Social - Ciências Sociais
  • História e Arqueologia - Humanidades

Com o objetivo de aumentar a investigação direcionada para o cumprimento dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável para 2030 das Nações Unidas, é disponibilizada no Ciência-IUL a possibilidade de associação, quando aplicável, dos artigos científicos aos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável. Estes são os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável identificados pelo(s) autor(es) para esta publicação. Para uma informação detalhada dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, clique aqui.