Artigo em revista científica
Utilização de cuidados médicos associados com a tensão arterial em doentes hipertensos: uma análise longitudinal comparando nativos e imigrantes africanos
Bernardete Pinheiro (Pinheiro, B.); Milene Fernandes (Fernandes, M.); Violeta Alarcão (Alarcão, V.); Paulo Nicola (Nicola, P.); Marília Antunes (Antunes, M.); Evangelista Rocha (Rocha, E.);
Título Revista
Revista Portuguesa de Medicina Geral e Familiar
Ano
2018
Língua
Português
País
Portugal
Mais Informação
Abstract/Resumo
Introdução: A diversidade étnica e cultural em Portugal tem reforçado a importância de adequar os serviços de saúde às necessidades em saúde de diferentes populações. Este estudo pretende analisar longitudinalmente os fatores associados à utilização de cuidados de saúde em hipertensos tratados portugueses e imigrantes africanos. Métodos: Estudo longitudinal com hipertensos tratados seguidos nos cuidados de saúde primários da região de Lisboa, entre setembro de 2010 e março de 2012. Incluíram-se 233 nativos caucasianos e 170 imigrantes africanos. Aplicaram-se três questionários presencialmente (zero, seis e doze meses) e dois telefonicamente (três e nove meses). O indicador de consumo de recursos foi o número de consultas médicas motivadas pela hipertensão nos três meses anteriores à entrevista. Para a identificação dos fatores estimou-se um modelo longitudinal linear generalizado misto por grupo. Resultados: Mais nativos do que imigrantes consultaram o médico de família no último ano (76,0% vs 64,7%, p=0,019). No entanto, mais imigrantes recorreram a cuidados com caráter de urgência (12,4% vs 5,2%, p=0,016). A proporção de indivíduos que foram ao médico, pelo menos uma vez, não diferiu nos dois grupos (46,5% vs 41,6%, p=0,387). Ajustando para todas as variáveis, a utilização de cuidados médicos pelos nativos revelou estar associada à idade (e?=1,036; p=0,021), diabetes (e?=1,898; p=0,006), controlo da hipertensão (OR=1,036; p=0,007), não controlo autopercecionado (e?=0,596; p=0,033) e tempo de seguimento (e?=0,771; p=0,001). Nos imigrantes, os fatores significativos foram: estado civil (e?=2,228; p=0,025), não controlo autopercecionado (e?=0,580; p=0,013), tempo desde diagnóstico de hipertensão (e?=1,021; p=0,016) e tempo seguimento (e?=0,689; p<0,001). Conclusões: Existe a necessidade de compreender melhor as diferenças nos fatores associados à utilização de cuidados de saúde relacionados com a hipertensão, entre nativos e imigrantes, de modo a desenvolver estratégias de promoção da saúde adaptadas às populações-alvo.
Agradecimentos/Acknowledgements
--
Palavras-chave
Hipertensão,Utilização de cuidados de saúde,Imigração,Estudo longitudinal
Registos de financiamentos
Referência de financiamento Entidade Financiadora
PTDC/SAU-ESA/103511/2008 Fundação para a Ciência e a Tecnologia
UID/MAT/00006/2013 Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Com o objetivo de aumentar a investigação direcionada para o cumprimento dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável para 2030 das Nações Unidas, é disponibilizada no Ciência-IUL a possibilidade de associação, quando aplicável, dos artigos científicos aos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável. Estes são os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável identificados pelo(s) autor(es) para esta publicação. Para uma informação detalhada dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, clique aqui.