Ciência-IUL    Autores    Guya Accornero    Currículo
Resumo CV

A minha principal área de investigação e formação é a sociologia política, sendo o meu foque de pesquisa e ensino sobretudo a sociologia dos movimentos sociais. Publiquei extensivamente nesta área, quer artigos nas principais revistas internacionais, quer uma monografia e uma coleção sobre teoria dos movimentos sociais na Europa. Tenho experiência em obter e gerir fundos de investigação, de forma independente e em colaboração com colegas. Tenho uma experiência considerável no ensino e desenvolvimento de cursos  para alunos de graduação e pós-graduação.

A minha pesquisa de doutoramento explorou a influência dos movimentos sociais na mudança social e institucional no sul da Europa, focando sobretudo o caso português entre autoritarismo e ditadura e nos anos da austeridade. Os resultados deste trabalho foram publicados no meu livro The Revolution before the Revolution (Berghahn 2016), e em vários artigos em revistas como Democratization, Cultures et Conflits e Análise Social.

Mais recentemente, e com base nesse trabalho, investiguei as consequências biográficas do ativismo político, considerado como uma forma de socialização secundária, sendo este o tema na base de um projeto de investigação do qual sou PI, financiado pela Fundação Portuguesa para a Ciência e Tecnologia (FCT): ‘Can activism change political and social values and attitudes? Long term effects of political engagement in Portugal and Spain’ (FCT, 50.000€). Além de vários capítulos de livro em inglês e português, alguns dos resultados desta pesquisa serão publicados na revista Social Movement Studies.

Ao longo destes últimos anos, a minha pesquisa centrou-se principalmente nas consequências sociais e políticas da austeridade no sul da Europa. Analisei os movimentos sociais urbanos e as novas formas de luta emergentes em contextos de crise e austeridade. Esta pesquisa resultou em capítulos de livros e em artigos nas revistas Estudos Ibero-Americanos e West European Politics  (em coautoria com Pedro Ramos Pinto).

Em 2017, fui visiting researcher no CUNY Graduate Center (NYC) e durante esta estadia comecei um novo projecto de investigação, em ligação ao meu interesse para com os movimentos sociais urbanos no contexto da crise, mas mais focado sobre o activismo relacionado com o direito à habitação e anti-gentrificação na cidade de Nova York. Isto tem sido fundamental para a elaboração do projeto HOPES: HOusing PErspectives and Struggles in Lisbon and Beyond, que estou a coordenar como Investigador Principal (FCT, 230.000€). Este projecto visa compreender as novas formas de activismo ligado à habitação e anti-gentrificação no caso de Lisboa, através de uma comparação com o caso de NYC-Lower East Side, onde estas dinâmicas têm uma história mais longa e consolidadas.

Desenvolvi estadias em vários centros internacionais, além de que no CUNY-GC, no Centro de Estudios Avançados e Ciencias Sociales (CEACS, Madrid) e no Centre de Recherche sur l'Action Politique (Universidade de Lausanne) na Suíça. O meu interesse pelos movimentos sociais não foi apenas empírico, mas tentei também contribuir para a evolução da disciplina do ponto de vista teórico e metodológico. Um dos resultados dessa reflexão foi o livro Social Movements Studies in Europe. The State of the Art (Berghahn 2016), que coeditei com Olivier Fillieule.

O papel das novas tecnologias digitais nos movimentos sociais está contemplado em toda a minha mais recente investigação e está directamente analisado em várias publicações, como os capítulos de livro ‘The “Mediation” of the Portuguese Anti-Austerity Protest Cycle. Media Coverage and its Impact’ e ‘Social Movements, participation and crisis in Europe’ (com Gustavo Cardoso, Tiago Lapa e Joana Azevedo). Este tópico tem sido também uma das minhas principais áreas de ensino, tendo desenvolvido e ensinado um curso sobre "Movimentos Sociais na Era Digital "(em inglês). Além disso, tenho experiência como supervisor de estudantes de mestrado e doutoramento e ensinei outros assuntos na área de sociologia e ciência política - como "Democracia: problemas e debates", para estudantes de mestrado em ciências políticas. Finalmente, tenho coordenado, desde 2014, com Britta Baumgarten, o "Seminário Mensal sobre Movimentos Sociais e Ação Política", com o objetivo de institucionalizar o estudo dos movimentos sociais na minha universidade (ISCTE-IUL) – e em geral em Portugal - e de estabelecer pontes entre diferentes tradições e campos de pesquisa na área de movimentos sociais, prestando especial atenção a áreas como a África de língua portuguesa e o Brasil.