Ciência-IUL    Autores    Guya Accornero    Projetos de Investigação
Projetos de Investigação
HOPES - Perspetivas e lutas em torno da habitação. Movimentos, políticas e dinâmicas residenciais em e para além de Lisboa
No início do séc. XXI, a habitação voltou para o centro de lutas e do debate político no mundo ocidental. Na Europa do Sul, crises residenciais e dinâmicas de intensificação da gentrificação e turistificação têm contribuído para o surgimento de movimentos sociais em torno de questões da habitação, como o desalojamento e a exclusão social e económica. Fortemente afetada por essas tendências, Lisboa vive uma perfeita tempestade residencial, gerada pela interseção entre a crise económica e austeridade, e a turistificação, a gentrificação e investimento imobiliário massivo recentes. Paralelamente, mudanças demográficas (envelhecimento, migrações e mobilidade) redefinem as identidades urbanas locais, refletindo-se em novas formas de ativismo residencial. Movimentos sociais, políticas urbanas e estudos demográficos parecem lidar com a habitação de uma forma fragmentária. Centrando-se em Lisboa, paradigma de tendências contraditórias e ainda sub-teorizada, HOPES visa entrelaçar estes domínios analíticos. Partindo da dimensão micro e meso do ativismo residencial, HOPES ampliará o seu âmbito a aspetos macro como as políticas de habitação nacionais e tendências globais. As principais questões do HOPES são: como e em que medida, os novos movimentos residenciais espelham políticas de habitação e dinâmicas mais amplas? Quais são as influências recíprocas entre movimentos, agentes políticos e tendências globais? Quais são os futuros residenciais e urbanos possíveis em Lisboa? HOPES adota uma perspetiva interdisciplinar e uma metodologia mista. Primeiramente, HOPES analisará e cruzará informação sobre o novo ativismo residencial (etnografia, análise dos eventos de protesto e frames analysis ), políticas (critical policy analysis) e dinâmicas (cartografia e análise demográfica) da habitação em Lisboa. O estudo será enriquecido por uma parceria de investigação-ação com a associação Habita e pela cooperação com o projeto FCT exPERts sobre as políticas de realojamento na Área Metropol...
Informação do Projeto
2018-10-01
2021-09-30
Parceiros do Projeto
Crise, Representação Política e Renovação da Democracia: caso Português no Contexto do Sul da Europa
Antes da crise económica e financeira internacional de 2008 e do seu impacto na Europa, nomeadamente a crise de dívidas soberanas e as políticas de austeridade que se seguiram, os eruditos que estudam as democracias europeias da Europa do Sul concentraram-se nas respetivas consolidações democráticas ou na qualidade da democracia (ver Morlino, 1998, e Gunther, Diamandouros e Phule, 1995). Contudo, as democracias europeias do Sul têm vivido profundas modificações desde a emergência da crise económica e financeira de 2008. Como Matthijs (2014) indica, ‘é ampla a evidência de que a força da democracia liberal na Europa do Sul diminuiu desde 2010, observando-se um enfraquecimento dos direitos civis e políticos, do estado de direito e do funcionamento dos governos’. Claramente que existem mudanças significativas no funcionamento das democracias contemporâneas, especialmente naquelas que tem sofrido políticas de austeridade dolorosas e que perduram. O objetivo deste projeto é examinar estas modificações analisando o caso de Portugal, um dos países da Europa do Sul mais severamente afetado pela crise, tanto numa perspetiva longitudinal como comparativa. É claro que existem respostas diferentes a estes desafios externos e trajetórias distintas de adaptação. Pode considerar-se o caso português como um bom exemplo de um dos problemas mais importantes que as democracias contemporâneas têm de enfrentar, como a perda de confiança dos cidadãos em relação à capacidade das instituições democráticas – particularmente legislaturas, partidos e elites políticas – para resolver problemas e atingir metas coletivas.
Informação do Projeto
2016-04-15
2019-04-14
Parceiros do Projeto
Can activism change political and social values and attitudes? Long term effects of political engagement in Portugal and Spain
Informação do Projeto
2014-01-01
2018-06-30
Parceiros do Projeto
A criminalização da dissidência política nos regimes autoritários. O caso do Estado Novo Português (1933-1974)
Os seguintes pontos pretendem sintetizar os elementos e as dinâmicas da criminalização política no Estado Novo: 1. Continuidades e descontinuidades da criminalização política na reformulação autoritária do sistema político: instituições e legislação repressivas herdadas pelo Estado Novo do anterior sistema político, novas instituições e novas leis e reinterpretação de leis e instituições existentes; 2. Do processo de consolidação ao pós-guerra (1933-1949): desmobilização da anterior elite republicana e das oposições comunistas e anarquistas através das prisões políticas e da “depuração” da função pública; 3. Operacionalização da criminalização política em relação ao processo político e aos níveis de mobilização bottom down: os “anos de chumbo” e a “oposição desmobilizada” (1949-1958); eleições Delgado, guerra colonial e ciclo de protesto (1958-1969); o Marcelismo entre abertura das oportunidades, radicalização do conflito e recrudescimento da repressão (1968-1974); 4. “Repertoires of demobilization”: o que o Estado Novo partilha com as coevas democracias ocidentais e seus elementos específicos.
Informação do Projeto
2010-01-04
2013-06-30
Parceiros do Projeto