Comunicação em evento científico
Ficar de fora das (novas) oportunidades: um retrato da população pouco escolarizada que permanece à margem dos processos de educação formal.
Vanessa Carvalho da Silva (Carvalho da Silva, V.); Patrícia Ávila (Ávila, P.);
Título Evento
X Congresso Português de Sociologia
Ano
2018
Língua
Português
País
Portugal
Mais Informação
Abstract/Resumo
A proposta de comunicação resulta de uma investigação em curso, no âmbito do projeto de Doutoramento em Sociologia, que tem como objetivo contribuir para o aprofundamento do conhecimento sociológico sobre os contextos, processos, disposições e reflexividades dos adultos pouco escolarizados que não retomaram a educação formal. A centralidade do conhecimento e da escolaridade nas sociedades atuais contrasta com o (ainda) persistente défice de qualificações da população adulta em Portugal, historicamente dependente de políticas transitórias (Araújo,2015). Apesar de esforços recentes (Iniciativa Novas Oportunidades), sublinham-se os riscos de uma evolução exígua (Capucha, 2013) e alerta-se para a existência de um segmento da população que tem ficado à margem destes processos (Silva, 2015). Sendo a investigação metodologicamente orientada por uma abordagem mixed methods, o foco desta apresentação será a sua componente extensiva, que pretende mapear o fenómeno, culminando na construção de uma tipologia que visa retratar os perfis deste segmento da população, atendendo à diversidade de condições de vida, trajetórias, práticas e contextos. A comunicação estará organizada em três momentos. O primeiro momento visa a apresentação de alguns dos estudos centrais sobre Educação e Formação de Adultos em Portugal, a partir dos quais foi feito um levantamento das principais conclusões sobre o que implica ‘ser-se adulto e pouco escolarizados’ nas sociedades atuais. No segundo momento serão apresentados dois estudos extensivos realizados em Portugal, apoiados em amostras representativas da população, cuja análise secundária dos dados permitirá concretizar a componente extensiva desta investigação: o Inquérito à Educação e Formação de Adultos, realizado pelo Instituto Nacional de Estatística ao longo de uma década (2007, 2011 e 2016) e o estudo extensivo desenvolvido em 2016 pelo EDULOG, “Que perceções têm os portugueses sobre o valor da educação?”. A partir da análise secundária dos dados desses inquéritos, serão apresentados, num terceiro momento, os principais elementos de caracterização social dos adultos pouco escolarizados que, em Portugal, têm permanecido à margem dos processos de educação formal. Finalmente, partindo de um conjunto mais alargado de variáveis (dos mesmos inquéritos), incluindo elementos de caracterização social, indicadores de práticas, de contextos e disposições face à aprendizagem ao longo da vida, procurar-se-á mapear a diversidade de perfis do segmento da população em análise. Serão mobilizados métodos de análise multivariada (p.ex. análise de clusters), a partir dos quais se chegará a uma tipologia dos adultos pouco escolarizados que têm ficado à margem dos processos de educação formal. Considera-se que o conhecimento sociológico da diversidade social subjacente a este segmento da população é fundamental para a intervenção sociopolítica nesta área.
Agradecimentos/Acknowledgements
--
Palavras-chave
adultos pouco escolarizados,aprendizagem ao longo da vida,educação formal de adultos,desigualdades sociais