Ciência-IUL    Autores    Rui Pena Pires    Projetos de Investigação
Projetos de Investigação
Aquisição de estudo sociológico sobre a integração dos jovens migrantes e descendentes de migrantes no Concelho de Sintra
Este projeto analisa a integração dos jovens migrantes e descendentes de migrantes no Concelho de Sintra. Tem dois objetivos principais, (i) o de investigação e (ii) o de contributo para ações de prevenção de desigualdades sociais e promoção de inclusão social.   Para tal, utiliza-se uma metodologia mista que concilia métodos quantitativos e qualitativos. Num primeiro momento, identificam-se os indicadores de integração de imigrantes que têm informação estatística desagregada a nível municipal – Sintra. O objetivo é contextualizar a integração na sociedade envolvente.   Num segundo momento, realiza-se pesquisa no terreno e entrevistas a informantes privilegiados, isto é, diretores de escolas, administradores e/ou profissionais de hospitais e centros de saúde e dirigentes de associações de migrantes, Complementarmente, são realizadas entrevistas em profundidade a dois grupos distintos: a) jovens imigrantes e descendentes de imigrantes, de diferentes ascendências e contextos socioeconómicos, a residir em freguesias diferenciadas do concelho de Sintra. O objetivo é caraterizar as condições de integração de imigrantes e descendentes, abrangendo a sua complexidade e diversidade.   Os indicadores a analisar como parte da integração social dos jovens imigrantes e descendentes são os seguintes: habitação, educação, mercado de trabalho, língua, acesso à política e à justiça, acesso à saúde, discriminação étnica e racial, participação religiosa, e participação e o acesso ao desporto e à cultura.    Equipa de Investigação: Sofia Gaspar (Coord.), Juliana Iorio (investigadora)   Consultores: Rui Pena Pires, João Sebastião, Alejandra Ortiz, Sandra Mateus, Rita Cachado    
Informação do Projeto
2019-06-01
2020-07-31
Parceiros do Projeto
Imigração e tráfico para exploração laboral. Nepaleses nas estufas em Portugal
O projeto foca-se sobre a migração de nepaleses para estufas de frutos vermelhos no sul de Portugal e a relação com tráfico para exploração laboral. Tem dois objetivos principais, o de investigação e o de contributo para ações de prevenção e combate ao tráfico. Para tal, num primeiro momento, pretende realizar entrevistas no país de origem a imigrantes nepaleses antes de saírem do Nepal e aos que, entretanto, regressaram de Portugal, bem como aos imigrantes nepaleses no país de destino (Portugal), para perceber o papel específico entre as empresas de recrutamento e o tráfico durante todo o processo migratório. A investigação será divulgada em dois artigos científicos. Para o contributo de ações os membros da equipa pretendem discutir com os diferentes agentes que interagem no processo migratório dos nepaleses (recrutadores, gestores de empresas agrícolas, autarquias, SEF, ACT, Observatório do Tráfico de Seres Humanos, entre outros) a criação de iniciativas para prevenir e combater o tráfico de seres humanos para exploração laboral, bem como uma maior visibilidade e articulação para as atividades já implementadas, como é o caso da “Nova Geração de Contratos Locais de Segurança” em Serpa, do Ministério de Administração Interna. A discussão de ações irá centrar-se em três eixos. Em primeiro lugar, o modo como o trabalho agrícola e natureza sazonal pode ser enquadrado em trabalho regulado, tendo como base a Diretiva 2014/36 – EU, de 26/02/2014, relativa à entrada de cidadãos de países terceiros para trabalho sazonal, a qual se encontra ainda por ser transporta para Portugal. Em segundo lugar, iniciativas para uma maior participação de nepaleses em cursos de língua portuguesa já existentes em concelhos no sul de Portugal (AA.VV. 2015), como um dos principais recursos de integração e capacitação de imigrantes. Em terceiro lugar, a tradução de legislação laboral portuguesa seleccionada para inglês e nepalês, para capacitar os trabalhadores nepaleses e empreendedores de ag...
Informação do Projeto
2017-10-01
2019-02-28
Parceiros do Projeto
Civil Engagement in Social Work: Developing Global Models
This project aims to examine the role of civil society in supporting vulnerable members of the community within the context of social welfare reform, neoliberal policy and new public management initiatives. Pressures of marketization, austerity and statutory intervention are challenging policies to reducing poverty, social inequality and social exclusion and promoting social cohesion and developing social capital. The project involves EU and associated countries that are undergoing significant social and economic change, namely England, Italy, Portugal, Spain and Turkey, whilst non EU countries, Brazil, Russia, India, China and South Africa are newly advanced economic development countries. The project will enhance the understanding and knowledge based models of global sustainable social welfare service delivery.
Informação do Projeto
2013-05-27
2016-05-26
Parceiros do Projeto
  • CIES-IUL
  • - - Líder (Reino Unido)
  • - - (Itália)
  • UA - (Espanha)
  • - - (Turquia)
  • SPSU - (Rússia)
  • SU - (África do Sul)
  • - - (Índia)
  • SYSU - (China)
  • Ufes - (Brasil)
Observatório das Desigualdades
O Observatório das Desigualdades é uma plataforma de recolha, sistematização, investigação, difusão e debate de dados e análises sobre desigualdades sociais contemporâneas, numa perspetiva multidimensional: desigualdades de rendimentos e emprego, de habilitações escolares, qualificações e competências, de classe social, género, étnico-raciais ou etárias, na saúde, habitação, práticas culturais, utilização de novas tecnologias da informação e comunicação, entre outras. Os progressos verificados ao longo das últimas décadas na sociedade portuguesa, a múltiplos níveis, não impediram a persistência de formas tradicionais de desigualdade, enquanto outras surgiram ou tornaram-se mais visíveis e intoleráveis. Além disso, no mundo atual têm cada vez mais importância as desigualdades globais e as suas relações com as desigualdades nacionais ou locais. As desigualdades, por outro lado, não são só parâmetros estruturais das sociedades, mas também objeto de ação individual e coletiva, nomeadamente de movimentos sociais e políticas públicas, com consequências variadas na redução ou acentuação das desigualdades sociais. O Observatório toma todos estes aspetos das desigualdades sociais como objeto da sua atividade. Para além de promover a difusão de informação e o conhecimento científico sobre desigualdades sociais, contribui para o debate público e para a fundamentação e avaliação de políticas públicas com incidências nas desigualdades sociais. A concretização destes objetivos faz-se por meio de um conjunto de instrumentos e atividades, com destaque para o sítio eletrónico “Observatório das Desigualdades”, incluindo também um sistema de indicadores, o aprofundamento de conceitos e métodos, a promoção de conferências, debates e publicações, assim como a realização de projetos de investigação e estudos especializados sobre o tema. O Observatório das Desigualdades é uma estrutura independente constituída no quadro do Centro de Investigação e Estudos de Sociologia (CIES-IUL) do Insti...
Informação do Projeto
2008-10-17
--
Parceiros do Projeto
Os Estudantes e os seus Trajectos no Ensino Superior: sucesso e insucesso, factores e processos, promoção de boas práticas
Os objetivos do projeto foram identificar e analisar percursos-tipo de sucesso, insucesso e abandono dos estudantes no ensino superior, relacionando-os com parâmetros estruturais e institucionais, e procurando encontrar fatores explicativos e identificar boas práticas. O projeto teve âmbito nacional e englobou os diversos subsistemas do ensino superior. A análise desenvolveu-se a três níveis: estrutural, institucional e biográfico, recorrendo a fontes estatísticas, inquéritos extensivos, documentação institucional e entrevistas em profundidade. O projeto inseriu-se no programa “Promoção do Sucesso Escolar e Combate ao Abandono e ao Insucesso no Ensino Superior”, do MCTES, e foi financiado pela FCT. A equipa de investigação foi constituída com base num consórcio entre o CIES-IUL (ISCTE-Instituto Universitário de Lisboa) e o ISFLUP (Universidade do Porto), contando com a colaboração de diversas instituições do ensino superior e associações de estudantes.
Informação do Projeto
2007-05-14
2008-06-15
Parceiros do Projeto
Remessas de Imigrantes em Portugal
Em Portugal, o estudo das remessas tem tido tradicionalmente como objecto as transferências dos emigrados portugueses para o País. O facto de o conjunto dessas remessas ser, em média, superior ao valor das transferências dos fundos comunitários, explicará aquele centramento. No entanto, e embora Portugal continue a ser, em termos líquidos, um país recebedor de remessas (segundo os dados do Banco de Portugal), o crescimento da imigração tem já tradução no crescimento das transferências financeiras para os países de origem dos estrangeiros residentes no nosso país. Acresce que, segundo declarações de dirigentes de associações de imigrantes, é provável serem aquelas remessas maiores do que o registado por serem eventualmente muito utilizados canais informais para a sua transferência. Justifica-se, pois, a produção de um conhecimento mais sistematizado dos dados registados e a realização de uma primeira aproximação ao volume e estrutura das remessas que circulam em canais informais.O primeiro objectivo será medir e caracterizar as origens e evolução das remessas dos imigrantes a residir em Portugal, comparando-as com as que os portugueses emigrados enviam para o País. O segundo objectivo será identificar e avaliar os processos de transferências de remessas por canais informais, que escapam ao registo das autoridades financeiras, bem como modalidades colectivas de colecta e envio organizado de remessas para fins específicos na origem.
Informação do Projeto
2007-02-21
2008-12-21
Parceiros do Projeto
Observatório da Emigração
1. O Observatório da Emigração é uma estrutura técnica e de investigação independente integrada no Centro de Investigação e Estudos de Sociologia (CIES-IUL) do ISCTE-IUL, onde tem a sua sede. 2. O Observatório funciona com base numa parceria entre as seguintes instituições universitárias de investigação: o Centro de Investigação e Estudos de Sociologia (CIES-IUL) do Instituto Universitário de Lisboa (ISCTE-IUL), que assegura a coordenação da parceria; o Centro de Estudos Geográficos (CEG), do Instituto de Geografia e Ordenamento do Território da Universidade de Lisboa (IGOT-UL); o Centro de Investigação em Sociologia Económica e das Organizações (SOCIUS/CSG), do Instituto Superior de Economia e Gestão da Universidade de Lisboa (ISEG-UL); o Instituto de Sociologia (IS-UP), da Faculdade de Letras da Universidade do Porto (FL-UP). 3. O Observatório foi criado com base num protocolo assinado, em 2008, entre o Instituto Universitário de Lisboa (ISCTE-IUL) e a Direção Geral dos Assuntos Consulares e das Comunidades Portuguesas (DGACCP), sendo apoiado pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros nos termos de um acordo de cooperação celebrado em 2016. 4. O Observatório iniciou a sua atividade em Janeiro de 2009, com três objetivos principais: recolher, harmonizar e analisar informação sobre a evolução e as caraterísticas da emigração portuguesa e das populações portuguesas emigradas, nomeadamente através da recolha de dados junto das instituições estatísticas dos países de destino da emigração; divulgar toda a informação compilada e promover a sua disponibilização e discussão junto do público em geral, em particular junto de investigadores, estudantes, decisores políticos e jornalistas; contribuir, através da sua atividade, para a definição e avaliação de políticas públicas de emigração baseadas em informação e conhecimento sobre este domínio de intervenção. 5. O Observatório tem como principal instrumento de relação quotidiana com o público a sua página we...
Informação do Projeto
--
--
Parceiros do Projeto