Ciência-IUL    Autores    Carla Moleiro    Projetos de Investigação
Projetos de Investigação
Prevenção à Institucionalização e Apoio à Familia
Informação do Projeto
2018-09-05
2018-09-05
Parceiros do Projeto
Projeto de Acolhimento e Relação de Qualidade
Informação do Projeto
2018-09-05
2018-09-05
Parceiros do Projeto
Programa de Apoio, Recuperação e Autonomização
Informação do Projeto
2018-09-05
2018-09-05
Parceiros do Projeto
Matching Needs & Services: Improving for children in Need
Informação do Projeto
2018-09-05
2018-09-05
Parceiros do Projeto
Supervisão clínica e técnica de equipas de apoio à família da SCML
Informação do Projeto
2017-11-02
2019-10-31
Parceiros do Projeto
"Enquête Trans et Santé Sexuelle" em Portugal (INSERM)
A discriminação, a exclusão social e o estigma têm um impacto significativo no bem-estar físico, psicológico e social das pessoas trans. Esta população tem sido sinalizada como em maior risco para problemas de saúde mental, tais como depressão, ansiedade, fobia social, abuso de substâncias ou perturbações alimentares (Brian, Garofalo & Emerson, 2010; Gómez-Gil, Trilla, Salamero et al., 2009; Nemoto, Bodeker & Iwamoto, 2011; Nuttbrock et al., 2010; Pitts, Couch, Mulcare et al., 2009; Rotondi et al., 2011; Vocks, Stahn, Loenser & Tegen-bauer, 2009); com as taxas mais elevadas de suicídio e de tentativas de suicídio de entre os outros grupos estigmatizados por razão de origem étnica ou cultural, religiosa, de idade, género, orientação sexual e/ou nível funcional (Magen & Shipherd, 2010; Nuttbrock et al, 2010). Em suma, as experiências de discriminação colocam barreiras significativos à saúde mental e ao bem-estar de pessoas trans. Recentemente, a legislação em Portugal foi alterada relativamente ao reconhecimento legal da identidade de género. Há dados indicativos de que o reconhecimento da identidade de género perante outros/as (isto é, perante o contexto social alargado) desempenha um papel crucial não só na integração social como também na aceitação pessoal (e.g., Couch, Pitts, Croy, et al., 2008; Pinto & Moleiro, 2015). Ainda assim, apenas uma parte da população trans tem acesso a esse reconhecimento e, quando o faz, as barreiras ao acesso a serviços de saúde e outros apoios de qualidade nem sempre têm sido supridas (ver Relatório Final de Projeto financiado pela CIG – EEA Small Grants Scheme, por Moleiro & Pinto, 2016). Assim, por um lado, existe ainda um vazio sobre as experiências da diversidade de pessoas cujas identidades e expressões de género transgridem ou traduzem vivências fluidas e não-binárias do género. Por outro, a investigação tem revelado a necessidade de informação, sensibilização e até formação de diversos públicos-alvo em...
Informação do Projeto
2017-06-01
2018-05-31
Parceiros do Projeto
GLSEN Investigação Nacional sobre o Ambiente Escolar
Em articulação e o com o apoio da GLSEN (Gay, Lesbian and Straight Education Network, Estados Unidos da America), e em parceria com a Ilga-Portugal e a Universidade do Porto (Jorge Gato, PhD), a equipa pretende traduzir, adaptar e avaliar o ambiente escolar em Portugal relativamente ao bullying homofóbico e transfóbico numa larga amostra em contexto educativo português. Presende ainda contribuir para a comparação com os dados americanos e 5 outros países europeus.
Informação do Projeto
2017-04-01
2017-12-31
Parceiros do Projeto
De menor a maior: acolhimento e autonomia de vida em menores desacompanhados
Este projecto pretende caracterizar menores refugiados desacompanhados em Portugal e conhecer os seus processos de transição para a maioridade, bem como conhecer os contextos de recepção e acolhimento, utilizando para esse efeito a triangulação de metodologias (qualitativas e quantitativas) e de informantes (menores desacompanhados e stakeholders). O 1º estudo procura caracterizar os contextos de recepção e acolhimento dos menores desacompanhados em Portugal através de vários stakeholders, quer directamente relacionados com o pedido de protecção e acolhimento, quer aqueles que estão envolvidos nos contextos de integração nos sistemas básicos de educação e de saúde. O 2º estudo visa caracterizar os menores desacompanhados e conhecer os processos de transição para a maioridade, através de narrativas auto-biográficas, como forma também de dar voz aos menores/maiores para abordarem os seus percursos e vivências. 
Informação do Projeto
2017-03-10
2019-02-28
Parceiros do Projeto
Uma abordagem centrada nas crianças para combater o bullying em contexto de centros educativos e detenção
O “CRAC – A child rights approach to combat bullying in detention and residential care settings” é um projeto Europeu, através do Programa Daphne da Comissão Europeia, que tem como objetivo a redução da incidência e do impacto da violência entre pares em contexto de Centros Educativos (CE). Em Portugal, o projeto decorreu da parceria da associação Par-Respostas Sociais juntamente com o CIS-IUL, com o apoio da Direcção Geral de Reinserção e Serviços Prisionais (DGRSP). A nível europeu, a parceria envolveu a participação da Universidade de Bolonha em conjunto com a associação Save the Children (Itália), com o apoio do Departamento de Justiça Juvenil Italiana e Universidade de Bolonha (Coordenadores), bem como congéneres da Bulgaria. Foram aplicados questionários aos/às jovens e às equipas para uma avaliação das experiências e percepções de bullying neste tipo de contextos em Portugal, Bulgaria e em Itália, bem como das estratégias de coping mais utilizadas pelos/as jovens e clima institucional.
Informação do Projeto
2016-04-01
2016-09-30
Parceiros do Projeto
A child rigths approach to combact bullying in detension and residential care settings
Informação do Projeto
2016-04-01
2016-06-30
Parceiros do Projeto
A child rigths approach to combact bullying in detension and residential care settings
O “CRAC – A child rights approach to combat bullying in detention and residential care settings” é um projeto europeu que tem como objetivo central reduzir a incidência e o impacto da violência entre pares no contexto de Centros Educativos. Com uma dimensão internacional, contando com a participação de Itália, Bulgária e Portugal, este projeto visa promover práticas e metodologias que contribuam para a redução dos índices de bullying entre jovens. Respeitando a legislação e normas existentes em cada país, pretende-se realizar um trabalho estruturado que resulte na capacitação de técnicos e jovens para identificar, prevenir e intervir em situações de bullying bem como desenvolver um guia de intervenção que possa ser adaptado a cada uma das realidades dos países beneficiários. O projeto está organizado em torno de 4 componentes: 1 – Avaliar a perceção de bullying por parte dos jovens e equipas de Centros Educativos, permitindo reunir informação relevante para a posterior criação de ferramentas e metodologias de intervenção; 2 – Desenvolver ferramentas de autoavaliação para técnicos e jovens, estruturadas para os apoiar a identificar e intervir em situações de bullying e na criação e reforço de políticas internas que melhorem a intervenção; 3 – Implementar ações de formação junto de técnicos e jovens no sentido de apoiar a identificar, prevenir e intervir em situações de bullying, ao mesmo tempo que se define, entre técnicos e jovens, um Plano de Ação que dê resposta às necessidades do contexto; 4 – Implementar o Plano de Ação definido, que incluirá workshops e sessões temáticas específicas para técnicos e jovens, seguido de avaliação do impacto das medidas. Por fim, desenvolver Guia de Prevenção e Intervenção em situações de bullying, que possa ser adotado por cada país.
Informação do Projeto
2016-02-01
2018-12-31
Parceiros do Projeto
A 'lei de identidade de género': Impacto e desafios da inovação legal na área do (trans)género
A entidade promotora do projeto é o ISCTE - Instituto Universitário de Lisboa, através do seu Centro de Investigação e Intervenção Social (CIS-IUL). Ao longo das 5 etapas do projeto (preparação, recolha, análise, produção escrita, e disseminação) a entidade promotora será responsável pela supervisão e coordenação geral, garantindo a correta execução do plano de trabalhos, estando diretamente envolvida na maioria das atividades desenvolvidas.  A entidade parceira 1 (Associação ILGA Portugal - Intervenção Lésbica, Gay, Bissexual e Transgénero) terá a seu cargo atividades específicas ao longo das 5 etapas do projeto, com destaque para angariação de participantes, participação na recolha e análise de dados, co-produção de um dos produtos finais, e participação na disseminação dos resultados. Esta parceria constituirá uma significativa mais-valia para o projeto uma vez que: (1) facilitará a angariação de participantes pertencentes a uma população oculta e estigmatizada,  cujas dificuldades de acesso estão bem documentadas na literatura científica; (2) permitirá a triangulação de dados e de metodologias; (3) enriquecerá o know-how desenvolvido pelo projeto, e também o seu domínio de atuação, pela conjugação de competências e práticas académicas com saberes e práticas do ativismo e da intervenção social direta; e (4) exponenciará a disseminação dos resultados do projeto. A parceria estabelecida com a entidade parceira 2 (LLH - The Norwegian LGBT Association), pertencente a um dos Estados Doadores, permitirá a troca de experiências na última etapa do projeto (disseminação). Atualmente, e no que respeita ao reconhecimento legal da identidade de género, a Noruega dispõe de um quadro legal semelhante ao que vigorava em Portugal anteriormente à implementação da lei que o projeto avaliará. Desde modo, a troca de experiências sobre o processo legislativo que ocorreu em Portugal, o seu impacto e desafios encontrados, será de significativa importância para o Estado Doador. O projet...
Informação do Projeto
2015-04-01
2016-03-31
Parceiros do Projeto
PEST_2015-2018_UID/PSI/03125/2013
Informação do Projeto
2015-01-01
2018-12-31
Parceiros do Projeto
Autonomia em relação , genero e cultura: adaptação de um instrumento, exploração das diferenças culturais e de género, e a sua relação com a psicopatologia
Informação do Projeto
2013-03-15
2014-07-15
Parceiros do Projeto