Ciência-IUL    Autores    Patrícia Arriaga    Projetos de Investigação
Projetos de Investigação
Diferenças Interindividuais na Empatia Emocional vs a visibilidade diferencial das emoções, e as suas consequências sociais
Informação do Projeto
2010-01-01
2013-06-30
Parceiros do Projeto
AWESOME! Awareness While Experiencing and Surfing On Movies through Emotions
The goal of this project will be to investigate the emotional dimension of movies, to further provide support for the classification, access, navigation and visualization of movie collections, not only including previous descriptors (genre, actors), but also emotions expressed in their content and felt by the viewers, during and after watching movies. This holds the potential to increase emotional awareness and empower future users to regulate their emotions when accessing and watching movies. To accomplish these objectives, there are four scientific challenges that we will address in the project: 1. Evaluate and select most relevant dimensions in emotional impact and predictors of enjoyment and gratifications from movies, understand viewer’s preferences, and the importance perceived in receiving emotional information. This will allow us to identify the most relevant emotional responses to use for the evaluation of the emotional impact, to inform a better support in emotional elicitation, movie classification, and access; 2. Capture the emotional impact of movies, as felt and perceived by the viewers, for classification and indexing. This will help future users to gain more awareness about the emotional impact of watching movies and allow to access movies based on these emotions; 3. Analyze and classify movie content based on the processing of three information streams: subtitles, audio, and visual video content, with a special focus on emotional information; 4. Conceive and create effective interactive access, navigation and visualization of the movies based on their content and their emotional impact on viewers, with the potential to provide insights based on the information visualized, and the users’ emotional profiles, choices, and states.
Informação do Projeto
2018-10-01
2021-09-30
Parceiros do Projeto
Amigos: Modelação de emoções em robots para interacções sociais em grupo
À medida que os robôs se tornam ferramentas mais comuns no entretenimento, educação e assistência pessoal, e são inseridos em contextos sociais por longos períodos de tempo (semanas ou meses), a sua capacidade de interagir com múltiplos utilizadores ganha uma importância fundamental. Para além das circunstâncias do mundo real, existem inúmeros motivos pelos quais é favorável um robô conseguir interagir socialmente com múltiplos utilizadores em simultâneo, por exemplo para limitar custos, tempo e espaço. Este projeto investiga o papel das emoções e adaptação na interação entre humanos e robôs em cenários colaborativos com vários utilizadores, contrastando com o paradigma típico de um robô e um utilizador presente na maioria das interações entre humanos e robôs. Apesar da necessidade evidente deste tipo de situações, ainda se sabe pouco sobre como os atuais sistemas de percepção e ação, tradicionalmente desenvolvidos para interações com apenas um utilizador, irão funcionar na presença de grupos de utilizadores. Estudos recentes nesta área indicam que modelos de percepção treinados com interações individuais não são totalmente generalizáveis para interações de grupo e vice-­versa, apontando para a necessidade de desenvolver novos mecanismos adaptativos. A equipa do INESC-­ID publicou recentemente alguns trabalhos que estudam a interação entre robôs sociais e pequenos grupos de utilizadores, mas estes robôs tinham percepções limitadas do comportamento dos utilizadores e os estudos realizados apenas incluíam uma única interação com o mesmo utilizador.. Neste projeto abordamos o problema the criar mecanismos de adaptação social para robôs em cenários de grupo, focando esta investigação na modelação computacional de emoções por terem um papel extremamente importante na interação humano-­robô. Vários estudos confirmam a importância das emoções na criação de laços sociais, em particular a importância da empatia. Apesar destes esforços, é necessário compreender se estes resu...
Informação do Projeto
2016-07-01
2019-06-30
Parceiros do Projeto
Sensores Inteligentes e ambientes adaptados para fisioterapia
Informação do Projeto
2016-04-15
2019-04-14
Parceiros do Projeto
Emotional facial espressions during interpersonal touch
Interpersonal touch is a significant part of human social life. It has been well-documented that touch facilitates individuals' behaviour in the context of compliance and spontaneous helping behaviour towards the touch initiator. The current project had its aim to extend previous research and investigate the role of touch on helping behaviour in a situation of social exclusion. In a laboratory setting, it was expected that socially excluded participants who were briefly touched by a researcher would volunteer for more experiments than socially excluded participants who were not touched. The effect of touch on helping behaviour was predicted to be mediated by positive emotions. Facial expressions of the participants were videotaped during the experiment. The emotion coding was performed with the help of two coders, naive to the hypotheses of the study. Increasing evidence suggests that facial coding by naïve coders may be as valid as highly trained coders (e.g. Baker, Haltigan, Brewster, Jaccard & Messinger, 2010; Dondi et al 2007). Studies indicate that untutored raters concur remarkably in their judgments of the personality and affective traits of complete strangers. When judgments are pooled, naïve raters exhibit high consensual accuracy and are able to predict important aspects of interpersonal functioning (Albright, Kenny, & Malloy, 1988; Ambady & Rosenthal, 1992, 1993; Paunonen, 1991; Rosenthal, Blanck, & Vannicelli, 1984). Basic emotions that can be reliably identified by untrained coders are happiness, sadness, surprise, fear, disgust, anger (Ekman, Friesen, & Ellsworth, 1972). The coders were asked to rate a participant on these 6 emotions and to evaluate the intensity of the participant’s display of the emotions. It was expected that the participants who went through the social exclusion manipulation would exhibit more negative emotions, than the participants in the control condition and the inclusion condition. Moreover, it was hypoth...
Informação do Projeto
2016-04-01
2016-08-01
Parceiros do Projeto
Fluxo das emoções
A nível metodológico, a investigação das emoções recorre-se na maioria das vezes da avaliação retrospetiva das emoções, solicitando aos participantes que após exposição a uma mensagem (apresentada em vídeo) reportem o que sentiram. Atendendo a que as emoções têm uma duração muito breve, essa avaliação retrospetiva não permite medir de modo preciso o que o indivíduo sentiu durante a exposição. Vários autores têm destacado a necessidade da avaliação do fluxo emocional durante a exposição a vídeos, nomeadamente em campanhas de promoção de saúde (Nabi, 2004). As diferentes mensagens que um vídeo pode apresentar terão implicações nas diferentes emoções experienciadas e sua evolução ao longo da exposição, bem como no modo como o indivíduo processa a informação, com implicações em várias respostas subsequentes. Alguns programas têm sido desenvolvidos para responder a esta necessidade, mas os poucos existentes apenas avaliam uma a duas dimensões das emoções (em geral, a valência) e não permitem a sincronização com indicadores fisiológicos das emoções. Neste sentido, no presente projeto desenvolveu-se e testou-se um programa no qual foi possível aos participantes registarem as emoções e a sua intensidade. Em simultâneo, foi possível registar de modo contínuo e sincronizado a atividade eletrodérmica, a atividade cardíaca e a saturação periférica do oxigénio. 
Informação do Projeto
2015-05-01
2015-09-30
Parceiros do Projeto
Reações Psicofisiologicas a estimulos emocionais
Informação do Projeto
2014-05-01
2014-09-30
Parceiros do Projeto
Controlo do processo cognitivo e emocional das faces pelo ritmo teta frontal
O processamento visual das faces desempenha um papel importante nas relações interpessoais no homem, o que leva o cérebro a dedicar recursos significativos a este tipo de estímulos. Além do contributo de múltiplas áreas corticais cerebrais posteriores, existe conectividade funcional com os lobos frontais, que provavelmente está relacionada com funções como a memória, atenção, emoção, monitorização de erro. Múltiplos estudos demonstraram a existência de covariâncias funcionais significativas à distância, que parecem implicar sincronização dos ritmos corticais das diversas áreas cerebrais. O ritmo teta do sistema límbico ganhou particular proeminência neste contexto como um potencial mecanismo desta sincronização, sendo mal estabelecido o nexo de causalidade entre este ritmo e as funções que lhe estão associadas. Especificamente não foi possível excluir até ao momento a possibilidade de os ritmos corticais do EEG representarem epifenómenos sem ligação causal com o processamento da informação local. Para responder experimentalmente à última questão, neste trabalho foi caracterizada a conectividade funcional entre os lobos frontais e as áreas cerebrais posteriores envolvidas no processamento visual de faces, com ênfase particular na actividade teta. Efectuou-se modulação do ritmo teta frontal através de TMS e os efeitos resultantes no processamento das faces foi avaliado. Foi efectuado controlo do efeito placebo através da utilização de “sham” TMS. O objectivo final consistia na determinação do papel desempenhado pelo ritmo teta frontal em diversos aspectos do processamento visual de faces.
Informação do Projeto
2011-01-01
2014-05-31
Parceiros do Projeto
Brincar com a violência: dessensibilização emocional, empatia e comportamento de ajuda face a vítimas de violência
O presente projecto de investigação pretendeu avaliar algumas questões teóricas e metodológicas na área de investigação da violência nos videojogos através da integração da contribuição de diferentes linhas de investigação. A nível teórico, o Modelo Geral da Agressão é considerado uma abordagem adequada, e integra várias teorias anteriores da agressão. Os autores expandiram o modelo para explicar os efeitos de dessensibilização, sustentando que jogar jogos violentos (JV) pode dessensibilizar os indivíduos à violência, através de exposições a curto e a longo-prazo. No entanto, poucos estudos na área de investigação da violência dos media avaliaram os efeitos de jogar JVs na dessensibilização e os que investigaram apenas se basearam em indicadores fisiológicos de activação. Na nossa perspectiva, para que seja possível clarificar o fenómeno de dessensibilização emocional devemos integrar os resultados que advêm de abordagens teóricas das emoções. Com base no Modelo Circumplexo do Afecto, os nossos estudos prévios avaliaram as duas dimensões de emoção propostas (activação e valência) medindo as respostas de condutância da pele (SCR) (uma medida de activação) e usando medidas de auto-relato de activação e de valência. Em ambos os estudos verificámos que aqueles que jogaram o JV, por comparação com a condição de jogo não violento, sentiram menor desprazer perante imagens de violência da vida-real. Assim, na nossa perspectiva, a valência (a dimensão desprazer-prazer) mostrou ser relevante para explicar as respostas afectivas em relação à violência (i.e., dessensibilização emocional). A possibilidade de que estas respostas emocionais pudessem explicar a relação entre jogar JVs e a agressão foi posteriormente analisada. Verificámos que aqueles que sentiram menor desconforto com a violência da vida-real foram mais agressivos em relação a outra pessoa; esta dimensão mediou parcialmente o efeito de jogar um JV na agressão. Atendendo a esses resultados, considerámos que seria re...
Informação do Projeto
2010-01-15
2013-07-14
Parceiros do Projeto